Vivendo valores na Escola

NÃO-ME-TOQUE – Ao ensinar os valores humanos aos alunos, se está evidenciando a grandeza destes no decorrer da vida. Ao se mostrar o benefício que os mesmos trazem no desenvolvimento social, percebe-se que os valores deixam de ser algo que se possa escolher em ter ou não ter, para tornar-se essencial à vida; como o alimento de todos os dias. São os valores que permitem a convivência humana; e, portanto, não podem ser considerados como opção, pois estão impregnados no processo de crescimento e desenvolvimento humano.

É preciso criar oportunidades educativas para trabalhar os valores, também dentro da escola. Preocupadas com a questão da inversão destes na sociedade, as professoras Eliza R. W. Lindner e Marlene Cologneze, estão desenvolvendo, na E.M.E.F.Valdomiro Graciano, com as turmas do 2º, 3º e 4º anos, o projeto “Vivendo Valores na Escola”, visando uma melhor convivência no ambiente escolar e ressaltando a importância do trabalho coletivo no processo de construção do conhecimento, rumo a um desenvolvimento social baseado na justiça e no respeito mútuo, propondo uma reflexão, tanto na escola como no lar.

Percebemos que alguns valores e atitudes devem e podem ser trabalhados na escola, de preferência por todas as turmas e professores, para que todos “falem a mesma língua”, surtindo assim mais efeito. Através destas reflexões e observações, percebemos a necessidade deste projeto. Semanalmente, as professoras proporcionam aos educandos momentos com atividades específicas de reflexão resgatando os preciosos valores, através de textos, histórias, vídeos e filmes.

Como momento culminante, aconteceu no dia 14 de dezembro às 19 horas, na escola, um momento especial, uma palestra com a Psicopedagoga Maria Malaquias, para os pais e responsáveis dos alunos, onde explanou o significado dos valores e a importância de vivenciá-los e praticá-los na família. De como a vivência desses alicerça o caráter e reflete na conduta do ser humano.

Não basta que só os educandos sejam educados em valores, é preciso que esta educação seja estendida aos pais, professores, comunidade escolar e sociedade. Porém, estes não podem ser impostos, sufocando a personalidade da criança, mas percebidos por elas nas atitudes de todos que educam.

(Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Não-Me-Toque)

Compartilhe: