Vice-presidente da CPI dos Medicamentos, deputado Clair destaca aprovação do relatório

Postado em 18 novembro 2021 15:00 por jeacontece
15.292.411/0001-75

Vice-presidente da CPI dos Medicamentos, o deputado Clair Kuhn (MDB) destacou na sessão plenária na terça-feira (16) o trabalho desempenhado pelos integrantes da comissão que investigou os aumentos exorbitantes nos preços de medicamentos e insumos usados no combate à covid-19. O parlamentar citou que os representantes dos hospitais ouvidos relataram terem adquirido itens com preços abusivos, especialmente no período mais crítico da pandemia.

“Vocês nos delegaram a tarefa de entrarmos nos hospitais do RS mesmo em época de pandemia e ouvirmos todos os relatos dos diretores, dos farmacêuticos, mas principalmente, dos médicos e intensivistas. Todos relataram a mesma situação: preços abusivos, que fugiam da realidade financeira dos hospitais, seja ele grande ou pequeno”, enfatizou Clair.

O deputado citou que alguns medicamentos subiram de R$ 2,50 para mais de R$ 100 e, algumas vezes, para mais de R$ 200. “Isso é chantagem, é extorsão. Isso é não ter compromisso com a saúde do cidadão do nosso Rio Grande do Sul”, criticou.

Ele também pontuou que o relatório final observou os cuidados técnicos e jurídicos e tem o sigilo necessário para que o Ministério Público possa fazer as investigações posteriores. O documento é de autoria do relator, deputado Faisal Karam, e contou com o suporte do vice-presidente Clair e do presidente da CPI, Dr. Thiago Duarte.

“A aprovação consolida o trabalho e faz justiça às pessoas que estavam no leito de UTI e não tiveram o medicamento de qualidade na hora certa. Quem sabe quantos desses irão ter sequela por não terem recebido medicamentos de primeira linha? Quantos perderam a vida porque o medicamento chegou mais tarde? Mais uma coisa eu digo: tenho a certeza de que o Parlamento gaúcho cumpriu o seu papel”, garantiu.

O relatório final da CPI dos Medicamentos foi aprovado por 41 favoráveis, e nenhum contra, pelo plenário da Assembleia Legislativa. O documento sugere o indiciamento de 68 empresas distribuidoras de medicamentos e de três indústrias farmacêuticas, que não tiveram seus nomes divulgados publicamente.
“O nosso RS merece o trabalho que fizemos, merece pessoas que comercializem medicamentos no futuro com preços justos. E os nossos hospitais, que já enfrentam uma crise financeira muito grande, que nunca mais tenham agravamento da situação por causa da ganância de alguns”, completou o deputado Clair Kuhn.

Agência de Notícias

Postado em 18 novembro 2021 15:00 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


TAPERA TEMPO

Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop