Vereador do Rio é preso por suspeita da morte do enteado de quatro anos

De acordo com investigadores, o político agredia o menino com chutes e golpes na cabeça. A mãe da criança, que teria conhecimento dos fatos, também foi detida

O vereador carioca Dr. Jairinho (Solidariedade) foi preso pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (8), por suspeita de envolvimento na morte do enteado dele, Henry Borel, de quatro anos, ocorrida no último dia 8 de março. A mãe da criança, Monique Medeiros, também foi presa.

Os mandados foram expedidos na quarta-feira (7) pelo 2º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro, e a prisão é temporária, válida por 30 dias. De acordo com o portal G1, investigadores da 16ª Delegacia de Polícia afirmam que o menino foi assassinado.

Segundo a publicação, a apuração aponta que Dr. Jairinho agredia o menino com chutes e golpes na cabeça e que Monique sabia disso, pelo menos desde fevereiro. Os dois também são suspeitos de atrapalhar as investigações e de ameaçar testemunhas para combinar versões.

Desde o dia 8 de março, os investigadores ouviram pelo menos 18 testemunhas e reuniram provas técnicas que descartariam a hipótese de acidente — levantada pela própria mãe da criança em termo de declaração na delegacia.

 

Ação violenta

Um laudo assinado pelo médico legista Leonardo Huber Tauil, feito após duas autópsias realizadas no cadáver da criança, nos dias 8 e 9 de março, apontou que a criança sofreu “múltiplos hematomas no abdômen e nos membros superiores”, “infiltração hemorrágica” na parte frontal, lateral e posterior da cabeça, apontou “grande quantidade de sangue no abdômen”, “contusão no rim” e “trauma com contusão pulmonar”.

A causa da morte, segundo o laudo, foi por “hemorragia interna e laceração hepática (danos no fígado) causada por uma ação contundente (violenta)”.

Segundo a polícia ainda, Dr, Jairinho teria agredido com violência filhos de outras mulheres com quem teve relacionamento.

Compartilhe: