Uruguaio naturalizado brasileiro é destaque em Mundial de Esquila na França

Postado em 11 julho 2019 12:00 por JEAcontece
15.292.411/0001-75

Dentro das ações da Emater/RS-Ascar em Ovinocultura, o apoio e o incentivo à capacitação da mão de obra é destaque, pois são poucos os esquiladores de profissão no Rio Grande do Sul. Desde 2010, a Emater/RS-Ascar, em parceria com o Senar, vem divulgando e levando cursos de Esquila Tally-hi (Técnica de Bowen ou Esquila Solta), ministrados pelo único instrutor do Senar nesta técnica, o professor Leôncio Perez. Participam das capacitações produtores rurais, em especial jovens, que vêm na esquila uma alternativa rentável de profissão.

É sobre Esquila Tally-hi o Campeonato Mundial que acontece nesta semana (de 04 a 07/07) na França, transmitida ao vivo pela internet através do link: https://www.dailymotion.com/video/x7c23ld. “Ficamos muito felizes este ano por ter uma representação brasileira no Campeonato”, desabafa Elusa Santos de Andrade, médica veterinária da Emater/RS-Ascar na região de Santa Maria, ao citar a participação do professor Leôncio Perez e do esquilador profissional, Nestor Rivas, uruguaio e que há muitos anos esquila rebanhos no Rio Grande do Sul.

Rivas se naturalizou brasileiro há pouco mais de um ano e atualmente vive com a família na fronteira Quaraí-Artigas. Boa parte do tempo viaja pelo Rio Grande do Sul e à Espanha para esquilar rebanhos. Ele e o professor Perez, também uruguaio naturalizado brasileiro, vêm difundindo no Rio Grande do Sul nos últimos anos a esquila pelo Método Bowen ou Tally-hi, como é mais conhecida, e o Manejo de Esquila Pré-Parto.

Perez é instrutor de Esquila Tally-hi pelo Senar e, com o apoio da Emater/RS-Ascar, realiza muitos cursos desde 2009 em diversos municípios do RS. “Desde então temos alguns gaúchos que aprenderam a técnica e se profissionalizaram, todavia são poucos ainda”, observa Elusa, ao anunciar o constante incentivo à formação de mais esquiladores gaúchos profissionais em Tally-hi, especialmente os jovens rurais, como alternativa de renda. “Dos alunos do professor Leôncio podemos citar o Daniel Ilha, de Caçapava do Sul, e os irmãos André e Claudiomar Batista, de Bagé, que se profissionalizaram e até ministram cursos e demonstrações da técnica para ovinocultores, através de um Programa de Incentivo à Ovinocultura coordenado pela Arcoovinos”, diz Elusa, ao desejar que “tenhamos cada vez mais esquiladores Tally-hi profissionais brasileiros e representantes nos concursos mundiais desta técnica”.

Segundo Elusa, “através da Tally-hi, é diminuída a penosidade do processo da esquila e qualificada a produção ovina inclusive pelo manejo de esquila pré-parto, que traz, como benefícios ao animal, o bem-estar e o aumento dos índices produtivos, e à produção de lã, com aumento do peso de velo e maior qualidade da lã produzida.

Adriane Bertoglio Rodrigues – Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

Postado em 11 julho 2019 12:00 por JEAcontece
15.292.411/0001-75
TAPERA TEMPO

Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop