Uma eleição em Tapera

Recentemente recebi de um amigo um material de campanha da terceira eleição municipal de Tapera, ocorrida no ano de 1963. Na capa do material, que trás o plano de governo da ADP (Aliança Democrática Progressista) e a frase “austeridade, colaboração e trabalho eficiente”, aparecem o então candidato a prefeito, Dionísio Lothário Chassot (PSD – Partido Social Democrata), primeiro prefeito de Tapera (1955-1959), e o candidato a vice-prefeito do PTB, Rosalino Durigon, de Romeu Claudio Kloeckner, que acabou vencendo aquela eleição. Os dois aparecem no gabinete do governador Ildo Meneghetti, no Palácio Piratini, em Porto Alegre. Com eles estão os deputados estaduais Arnaldo Prietto e Romeu Scheibe, que era aqui da região (Carazinho).

O plano de governo da ADP trazia suas ideias para governar Tapera nas áreas de energia elétrica e telefonia, água e saneamento, ruas e estradas, agricultura, ensino e assistência social, praças e jardins e administração em geral. Ele não fala em promessas, mas orienta para uma boa administração para um município que engatinhava. Tapera tinha apenas nove anos.

Alguns pontos interessantes contidos no plano de governo:
1 – Instalação da rede elétrica na cidade e no interior;
2 – Expansão da rede de água;
3 – Abertura de ruas e calçamento nas já abertas, além de empedramento das ruas lamacentas da cidade e encascalhamento dos atoleiros e rampas perigosas;
4 – Instalação do Plano Diretor Municipal;
5 – Conclusão do prédio da Associação Rural e Patrulha Agrícola Mecanizada;
6 – Aquisição de duas automotrizes (colheitadeiras) para os pequenos agricultores;
7 – Encampação da Escola Normal e do Ginásio Taperense;
8 – Implantação da merenda escolar;
9 – Construção de casas populares;
10 – Urbanização e ajardinamento;
11 – Instalação do Fórum, Correios, Coletoria Federal e Banco do Brasil, além de melhorar o prédio da Delegacia de Polícia.

No material, aparecem os nomes dos nove candidatos a vereador pela ADP: Adolfo Albino Werlang, Affonso Knob, Emílio Agnes, Claudino Salvadori, Danilo Dierings, Ermindo Becker, Hermes Joao Crestani, Olindo Feldkircher e Severo Werlang. Lembrando que, naquele tempo, Selbach era distrito de Tapera e se emancipou no ano seguinte (1965). Do grupo se elegeram três: Affonso Knob, Hermes Crestani e Severo Werlang. As outras quatro vagas de vereador, num total de sete, foram ocupadas por Albano Welter, Alcides Benno Utzig, Hercílio Lenoir Steffens e João Maximiliano Batistella, todos do PTB, vencedor da eleição.

A eleição, que aconteceu no dia 10 de novembro de 1963, elegeu Romeu Claudio Kloeckner (PTB). Era a segunda vez que o partido vencia uma eleição em Tapera. O PTB comandou o município por três vezes, sendo o partido que mais vezes dirigiu o executivo taperense. Além disso, em 57 anos de história, foi a única vez que um prefeito conseguiu eleger seu sucessor. E nunca houve uma reeleição em Tapera.
FÁBIO DAVID CRESTANI
Jornalista – Editor do JEAcontece e do Blog do Sarico (www.blogdosarico.com)

Compartilhe: