Temporal de ontem causou muitos estragos em Tapera

O temporal que se abateu sobre Tapera e região na noite passada causou muitos estragos em alguns pontos da cidade. Os fortes ventos derrubaram árvores de porte (com a raiz), postes de energia elétrica, pardal e luminárias. Muitas casas, nas partes altas, tiveram danos no seu telhado. Algumas empresas como a Comercial Bortolan (ERS 332), GF Pneus (ERS 223) e Mecânica Magni (ERS 223) tiveram danos de grande monta com a queda de paredes e da cobertura. A cobertura da Mecânica Magni voou cerca de 100 metros longe do prédio, sobre uma lavoura. Em outras, como Fepol e Signor Concretos, também houve dano na cobertura. O Ginásio Poliesportivo teve cinco dos seus vitrais quebrados e quatro das grandes árvores existentes na sua frente, foram arrancadas com a raiz. A quadra foi toda ela molhada.

Muitas árvores e postes caíram sobre ruas e avenidas interrompendo o fornecimento de energia elétrica na cidade, depois das 21h30min. A energia somente foi restabelecida na madrugada de hoje. Em alguns pontos da cidade ainda não tem luz. Hoje pela manhã, muitas pessoas ajudavam seus vizinhos a limpar sua casa, terreno e a frente da mesma, num trabalho voluntário maravilhoso. A cidade continua suja em função dos fortes ventos que devem ter passado dos 100 km/h.

As cenas que se viram em Tapera nesta manhã parecia que um furacão havia passado por aqui. Graças ao bom Deus houve apenas danos materiais. Temporais na região estavam sendo anunciados durante toda a semana pela imprensa, mas apenas dava um breve vento e em seguida vinha uma chuva calma. Ontem à noite o tempo resolveu mostrar toda a sua força.

À noite passada, na reunião da ACIT (Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Tapera), no Clube Aliança, enquanto o pessoal conversava sobre o destino de uma propriedade sua, começou a dar sinal na luz. O sobre e desce da fase indicava que algo não estava bem e que algo ruim poderia vir. E veio. Durante a janta, começou a chover forte com fortes ventos. De dentro do Clube, quando passava um veículo na Avenida XV de Novembro, dava para se ver que a chuva fazia um círculo no ar, dado a força do vento. Às 21h30min terminou a luz e começou a preocupação do pessoal presente à reunião em função dos ventos e dos barulhos que se ouvia. Em instantes o cruzamento da Avenida XV de Novembro com a Avenida Dionísio Lothário Chassot e Rua Dom Pedro II foi tomado pela água, que corria sobre as calçadas, para todos os lados. A Dionísio, na altura da antiga Barbearia do Borba, ficou inundada impossibilitando o tráfego de veículos no local. A água que corria do alto em direção ao centro era uma coisa jamais vista. Vinha com muita força levando junto terra e sujeira.

Dei uma volta na cidade na companhia dos colegas Marcelo Haag e Luiz Carlos Theodoro, da Rádio Cultura, que estavam na reunião da ACIT, e pudemos ver o que havia acontecido em Tapera. Depois que a chuva acalmou e os ventos pararam, mesmo sem luz, havia muitos veículos percorrendo as ruas e avenidas da cidade, todos com muita pressa, certamente indo ver a cidade ou suas casas ou empresas ou ainda casas de parentes e amigos e se havia necessidade de ajuda. O que aconteceu em Tapera ontem, pelos estragos que fez, saiu barato. A cidade escapou de um grande desastre com consequências inimagináveis.
Fábio David Crestani
Jornalista – Editor

Compartilhe: