Temporal com granizo e ventos fortes causa prejuízos também na agricultura

TAPERA – O temporal ocorrido na noite de terça-feira (18), atingiu vários municípios na região do Alto Jacuí causando estragos nas cidades e no interior. O município de Tapera foi, sem dúvida, um dos mais atingidos. Na quarta e quinta-feira (21 e 22) andamos bastante pelo interior para verificar a situação das culturas de inverno – trigo, cevada, aveia assim como também as lavouras de milho já implantadas. O que encontramos foi muita destruição e prejuízos irreversíveis, principalmente nas culturas de inverno devido o estádio em que as culturas se encontram – formação e enchimento de grãos. Sem dúvida que onde houve queda de granizo a situação ficou muito pior e a recomendação é a comunicação e encaminhamento imediato da solicitação da cobertura de Proagro/Seguro Agrícola para fins de indenização.

Na cultura de milho também houve danos muito severos onde a queda de granizo foi mais intenso e acompanhado de ventos fortes; há casos em que o milho já estava com mais de 04 folhas abertas tendo inclusive já sido aplicado o N em cobertura e sobraram apenas vestígios da existência de uma lavoura de milho. Neste caso, não há dúvida da necessidade de replantio e também queremos lembrar que deve haver comunicação imediata ao agente financeiro, acionar a cobertura de Proagro/Seguro Agrícola para indenização dos insumos e operações já realizadas.

Há casos em que o milho estava na fase final de germinação e a queda de granizo menos intensa; neste caso, há possibilidade de recuperação das plantas pois o ponto de crescimento estava ainda abaixo do nível do solo. Recomenda-se acompanhar a recuperação da lavoura para ver se vale a pena deixar ou realizar igualmente o replantio, pois pode ocorrer emissão de grande número de perfilhos ou o número de plantas restantes ficou baixo. Como o milho não compensa muito a redução de stand e, mesmo que perfilhos não sejam de forma geral considerados drenos e sim fontes, a recomendação é o replantio.

As fotos e texto são do engenheiro agrônomo José Eraldo Gregory da ETA Planejamento.

Compartilhe: