TAPERA – Prefeito participa de trabalho científico de acadêmicos de agronomia

Três acadêmicos do curso de Agronomia da Universidade Federal de Santa Maria – Campus de Frederico Westphalen – incluíram uma entrevista com o prefeito Ireneu Orth num trabalho da disciplina “Desenvolvimento Rural”. Na semana passada Gustavo Bonatto de Tapera, Natan Pagliarini de Campos Borges e Ivan Ricardo March de Victor Graeff, estiveram no gabinete do prefeito Ireneu Orth para agradecer pela sua participação neste trabalho de pesquisa que terá um acompanhamento nos próximos anos, a partir das colocações postas nas indagações feitas. Confira a seguir a entrevista concedida aos acadêmicos sobre desenvolvimento rural e o papel da universidade neste processo.

1 – Sendo os municípios da região essencialmente agrícolas, qual a importância de fortalecer a agricultura tanto do município como da região?
Ireneu Orth – A agricultura é a base de nossa economia e grande parte do segmento industrial dependente do setor agrícola, como por exemplo, a indústria metal mecânica, voltada para a produção de máquinas e equipamentos, atividade que está sendo impulsionada em nosso município. Sendo assim é elementar que o Poder Público Municipal promova e desenvolva ações de modo a profissionalizar e qualificar cada vez mais o homem do campo e a propriedade rural.

2 – Qual o papel da gestão municipal na busca do desenvolvimento rural do município e da região?
Ireneu Orth – Servir como base e como elemento motivador, criando ambientes propícios para a conquista desse desenvolvimento, implementando políticas públicas, buscando a qualificação profissional e fomentando oportunidades de negócios a fim de aumentar a renda do produtor para que assim ele e, principalmente seus filhos, encontrem motivos para se fixarem no campo.

3 – O senhor vê a sucessão familiar nos municípios como um entrave para o desenvolvimento rural? De que forma o município pode amenizar essa dificuldade, garantindo a continuação do campo e de seu desenvolvimento?
Ireneu Orth – Este é um dos grandes gargalos não apenas da agricultura familiar, mas também do segmento empresarial rural, situação em grande parte resultante da falta de renda da atividade e perspectivas de sustentação reduzidas. Resulta também da falta de infraestrutura e tecnologia no campo, que devem passar a ser prioridades das administrações municipais para fixar o jovem no meio rural. No caso específico de Tapera, existe essa preocupação de socializar o interior com boas condições de acesso às localidades através de calçamento poliédrico, energia elétrica de qualidade e comunicação eficiente, principalmente internet e telefonia móvel, para que o acesso à informação ocorra de forma natural, e através disso chegando-se ao conhecimento para que a propriedade se transforme num negócio rentável e objetivamente profissional e com uma visão empresarial.

4 – A parceria com outras empresas e entidades, como universidades é bem vista para levar novas tecnologias e técnicas ao campo. Como a Prefeitura poderia viabilizar a inclusão dessas tecnologias no dia-a-dia das pessoas que buscam seu sustento na atividade agropecuária?
Ireneu Orth – O Município de Tapera tem procurado ao longo dos últimos quatro anos atuar em parceria com cooperativas, empresas, sindicatos e demais órgãos, como SEBRAE e SENAR, na busca do conhecimento e da profissionalização, com foco voltado para a capacitação do homem do campo. Mantemos, igualmente, uma parceria com a Universidade Federal de Santa Maria – UFSM – na área do Meio Ambiente, cuja ação pode ser ampliada a partir dessa relação já estabelecida e, a fim de socializar o conhecimento em outras áreas.

Ao longo desse período, proporcionamos aos produtores rurais, inúmeros cursos de capacitação visando ao empreendedorismo na agricultura familiar. Hoje Tapera conta em torno de 30 produtores que estão em permanente formação através de cursos ministrados pelo SEBRAE, em parceria com os Sindicatos Rural e dos Trabalhadores e Emater. Mas precisamos avançar e criar uma nova mentalidade educacional, disponibilizando cursos técnicos para nossos jovens para que eles tenham uma perspectiva profissional real e objetiva dentro de seu próprio domicílio.

5 – Qual a importância das universidades para uma região, especialmente par ao setor agrícola.
Ireneu Orth – É fundamental para facilitar o acesso dos nossos jovens ao conhecimento e a capacitação, pois a universidade desenvolve a pesquisa científica difundindo técnicas agrícolas e contribuindo para a formação de cidadãos conscientes e competentes, preparando-os para atuar como agentes transformadores da sociedade num cenário cada vez mais competitivo e promissor. O desenvolvimento e o fortalecimento da agricultura está diretamente relacionado com a ciência, tecnologia e inclusão social.

(Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Tapera)

Compartilhe: