TAPERA – Manejo de Doenças na Cultura da Soja é tema de palestra promovida pela Cotrisoja em parceria com a Bayer

Na última quinta-feira (27), a Cotrisoja em parceria com a Bayer CropScience, realizou a palestra com o tema “Manejo de Doenças na Cultura da Soja”, ministrada pelo professor da Universidade de Passo Fundo, Eng. Agr. Carlos Alberto Forcelini. O principal objetivo da noite foi a apresentação do manejo correto de fungicidas para a proteção da cultura da soja, evitando danos e perdas de produtividade.

Na ocasião, o Especialista em Microbiologia, Mestre em Fitopatologia e Doutor em Fitopatologia, abordou também assuntos referentes à cadeia produtiva da soja, manejo integrado de pragas, combate à Helicoverpa Armígera, controle de doenças, tendências do agronegócio, clima e novas tecnologias para altas produtividades. Forcelini destacou a variedade de produtos eficientes para controle de doenças nas culturas da soja, que se encontram à disposição no mercado, porém o produtor precisa estar atento quanto ao uso correto.  “Precisamos sim acertar a época e o intervalo entre as aplicação, é muito importante acertarmos a primeira aplicação, esta deverá ser realizada no fechamento de carreira da cultura da soja, e, além disso, devemos utilizar o melhor fungicida que o produtor adquiriu para a realização da aplicação, sempre respeitando o intervalo de aplicação que não poderá ser maior que 15-18 dias, exigindo a reentrada na lavoura.”

O controle de doenças da soja está cada vez mais difícil, exigindo dos técnicos e produtores soluções rápidas e certeiras.  O Coordenador do Depagro, Gerson Kuffel,  ressaltou a importância do manejo com fungicidas. “Na cultura do trigo que temos menor preço e liquidez chegamos a fazer quatro aplicações de fungicidas, e na soja realizamos em  média somente duas aplicações”.

Ainda de acordo com Kuffel, outra grande preocupação é a incidência de pragas iniciais e lagartas nas lavouras de soja, com destaque para a Helicoverpa Armígera que já está presente na região. “No ano passado a Helicoverpa causou grandes prejuízos na cultura da soja, com perdas de até oito sacas por hectare. A nossa dica,  são as visitas semanais do Departamento Técnico da Cotrisoja para diagnostico correto.

Como sugestão da Cotrisoja e da Bayer, cada participante trouxe 01 kg de alimento não perecível, que será doado para as Casas Lar de Tapera e Selbach.

(Assessoria de Comunicação da Cotrisoja)

Compartilhe: