TAPERA – Cotrisoja disponibiliza 2ª dose contra aftosa

A segunda dose da vacina contra a febre aftosa, pode ser adquirida nas farmácias veterinárias da Cotrisoja de Tapera e Selbach. A vacinação segue até o dia 30 de novembro e visa imunizar bovinos de até dois anos de idade. O produtor que vier retirar as doses na cooperativa deve trazer caixa de isopor e gelo.

Conforme o Departamento de Defesa Agropecuária (DDA) da Seapa, na primeira etapa, a vacinação alcançou um índice maior do que os registrados em anos anteriores, resultado da mobilização dos produtores, de entidades de classe, da imprensa e do serviço veterinário oficial. Foram imunizados 13,6 milhões de animais, representando cobertura vacinal de 98,32% do rebanho bovídeo do Rio Grande do Sul.

De acordo com o Médico Veterinário da Cotrisoja Henrique Forgearini Mota, a febre aftosa é uma doença viral altamente contagiosa, mas não apresenta riscos à saúde humana.  O vírus é resistente ao congelamento e só é fica inativo em temperaturas superiores a 50ºC. Pode sobreviver em forragens contaminadas e no meio ambiente por até um mês se houver condições favoráveis de temperatura e pH. A mortalidade é baixa em animais adultos, porém, nos jovens provoca problemas cardíacos que levam à morte.

Os animais contaminados podem transmitir a doença durante o período de incubação e manifestação da aftosa. O ar expirado, saliva, fezes, urina, leite e sêmen de animais doentes provocam contaminação até quatro dias antes do aparecimento dos primeiros sintomas clínicos. Nos primeiros dias antes da manifestação das feridas os animais apresentam falta de apetite, calafrios, febre e redução da produtividade de leite. Após a manifestação das aftas o animal não consegue se alimentar ou caminhar, ficando prostrado e fraco. A vacinação com vírus inativado, é a forma de prevenção mais indicada.

Ainda de acordo com o veterinário, a febre aftosa é uma das enfermidades mais contagiosas e causa importantes perdas econômicas. ” Isso ocorre devido a diminuição na produção de carne e leite, além do fechamento de alguns mercados consumidores não só no Brasil, como no exterior.”

(Janaína S. da Rosa Schreiner – Assessora de Comunicação da Cotrisoja)

Compartilhe: