Semana Acadêmica de Design

CARAZINHO – Durante essa semana, o curso de Design da ULBRA Carazinho realiza sua Semana Acadêmica até o dia 23 de junho. Durante a abertura do evento, o Diretor da ULBRA Carazinho, Valdemar Sjlender, ressaltou que os acadêmicos são a razão de ser do curso. “Nossos alunos vêm até a Universidade para aprender com o curso e entre si. A Semana Acadêmica apenas referenda o que vem acontecendo no dia a dia através do processo de aprendizado”, falou Sjlender.

O coordenador do curso de Design da ULBRA Carazinho, Carlos Davi Matiuzzi da Silva, saudou os egressos e acadêmicos do curso presentes no evento. “Esta semana é o resultado das ações dos acadêmicos. Destaco a participação de alunos e egressos em prêmios, conquistando ótimas colocações em concursos nacionais na área do Design”, destacou Matiuzzi.

A noite continuou com a palestra do Mestre em Educação, Arte e História da Cultura, professor Auresnede Pires Stephan, conhecido como prof. Eddy, que abordou a história do design. O palestrante falou sobre o design dos anos 50 a 80. “Não seria possível traçar uma cronologia particularizada de todas as personalidades que militaram no setor do design, para tanto tenho alguns exemplos significativos e que podem ser considerados como etapas históricas no âmbito dos projetos industriais”, destacou Eddy.

O palestrante mencionou os fundamentos do design e ressaltou que o importante é a busca pelas respostas. “A história do design é o componente fundamental do aprendizado. O profissional deve ter habilidades para resolver problemas. Já o produto deve encantar e surpreender as pessoas. É importante lembrar que o design é um todo insolúvel e também envolve o processo de produção, entre outros fatores”, contou o profissional.

Contudo Eddy também lembrou que o designer deve entender os caminhos e tendências da história, bem como da política e da aventura. “O designer deve ter um repertório muito amplo em todas as áreas do conhecimento, como tudo gira em torno do ser humano, o profissional tem que entender do comportamento das pessoas”, destacou.

Desafios da Educação Tecnológica

No segundo dia de evento, o renomado palestrante, Ari Rocha, primeiro a defender tese de doutorado em Design no Brasil, explanou sobre as ondas de inovação e a perspectiva futura do mercado de trabalho no âmbito do design. “É preciso que vocês estejam prontos e aptos a assumir papéis e se comprometer com o resultado que se quer atingir”, destacou Rocha, complementando que os fatos novos devem ser enfrentados: “Às vezes, as pessoas se aterrorizam com um obstáculo à frente, mas elas devem sempre seguir adiante”, completou.

Na tese de doutorado, Ari Rocha escreveu que a humanidade sabe fazer veículos que chegam à Lua, mas não consegue enfrentar problemas triviais como ir de casa ao local de trabalho, de modo rápido sem poluir o ar ou fabricar neuróticos.

Por isso, o profissional atualmente tem que ser criativo e aprender com os desafios da educação tecnológica. “Hoje em dia, temos que preparar estudantes para empregos que ainda não existem, para utilizar as tecnologias que estão sendo inventadas agora, solucionando problemas que ainda nem sabemos que são problemas”, afirmou Rocha.

Tendo em vista que a tecnologia transformou a realidade do mundo, aproximando as distâncias, o palestrante observa que diante desta situação futura de trabalho, o indivíduo deve estar preparado para uma realidade que ainda não se conhece. “Agora nós temos que aprender a aprender, aprender a desaprender e aprender a reaprender”, completou.

Em linha com a perspectiva tecnológica, Ari afirma que tudo muda tão rápido que aquele que parar um pouco vai ficar pra traz. “Nas cadeias produtivas que se formam no âmbito da sociedade do conhecimento, somente os mais qualificados estarão aptos a exercer funções relevantes”, mencionou Rocha.

(Jornalista Francine Menin – Assessoria de Comunicação Social ULBRA Carazinho)

Compartilhe: