Selbachenses participaram de seminário estadual sobre radiação eletromagnética

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente realizou no último dia 12 o
Seminário Estadual Os riscos da radiação eletromagnética não ionizante da telefonia celular. Participaram dele os fiscais municipais Jorge Rogélson da Silva e Marcos Ludwig.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), desde 1996, mantém grupo de estudos e avaliação sobre os possíveis riscos da radiação eletromagnética utilizada nas tecnologias de comunicação sem fio, como a telefonia celular.

Recentemente a OMS admitiu que existem evidências, que este tipo de
radiação pode causar alguns tipos de câncer, classificando-a como 2B
(possivelmente carcinogênica).

O Seminário visou discutir e alertar sobre os riscos da telefonia celular, especialmente para as crianças, adolescentes, gestantes e idosos, bem como problematizar a atual legislação e a fiscalização sobre esse tipo de poluição. O problema maior são as antenas rádio base de telefonia celular, pois a área em volta destas antenas é potencialmente perigosa. As empresas de telefonia celular querem dobrar o número de antenas no país nos próximos cinco anos.

Atualmente, o Brasil tem cerca de 50 mil estações rádio base (ERBs) e a estimativa do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia Fixa e de
Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) é que seja preciso 100 mil antenas para atender às necessidades de expansão do serviço nos próximos anos. No seminário foi apresentado que não existe uma legislação estadual ou federal que trate especificamente deste tipo de poluição, os municípios representados foram orientados a criar legislação própria.

Compartilhe: