SAÚDE: Sal: o vilão da saúde

Quando a ingestão de sal é excessiva, os riscos à saúde se multiplicam. Recomendações médicas a respeito da redução do sal tornam-se cada vez mais rigorosas. As novas quantidades de consumo de sal recomendadas tem por objetivo controlar um dos mais perigosos males da modernidade: a hipertensão. O sal não está presente só no saleiro, seu componente mais nocivo, o sódio, é usado em muitos alimentos e seu consumo pode ocorrer sem mesmo sabermos. Não estou querendo dizer que o sal deva ser banido da alimentação. Muito pelo contrário, o sal é um mineral que atribui o maior numero de funções no organismo. O que queremos propor e recomendar é que a ingestão diária de sal não suplante a 5gr.

Esta é a nova diretriz da Sociedade Brasileira de Cardiologia, nefrologia e hipertensão. O corte do consumo de sódio deve começar pelo próprio sal, a primeira medida e afastar da mesa o famoso saleiro e na hora de preparar os alimentos diminuir a quantidade de sal. Na medida em que você diminua o consumo de sal diário, nessa mesma proporção aumentam os benefícios à saúde. O sal é o principal conservante de alimentos. Quanto mais longa for à validade dos alimentos, maior a quantidade de sal existente. Além da melhor qualidade de vida estará aumentando, seguramente, sua longevidade. Para diminuir o consumo de sódio e melhorar a saúde é preciso uma mudança radical dos hábitos de alimentação é preciso passar a ler os rótulos dos alimentos industrializados, principalmente: temperos prontos, mostarda e molhos para salada, congelados, pães doces, churrascos e embutidos. Todos esses produtos são feitos com a aplicação de muito sal e, consequentemente, de sódio.

ALINE PREDIGER
Nutricionista 8835 D, personal diet, domiciliar e clínica

Compartilhe: