Santo Antônio do Planalto reforça luta contra o Aedes aegypti

Diante do estado de emergência em saúde pública decretado devido ao aumento dos casos de microcefalia associada ao zika vírus no território nacional, assim como as doenças relacionadas ao aedes aegypti – dengue, chikungunya e zika vírus –, as coordenações municipal e estadual da Atenção Básica reforçaram as ações preventivas e de monitoramento.

As novas orientações foram repassadas na tarde de sexta-feira (05) pelo coordenador da Estratégia Saúde da Família de Santo Antônio do Planalto, Gustavo Kasperbauer, às agentes de endemias e às agentes comunitárias de Saúde do município. No encontro, foram acordadas as ações estratégicas planejadas até o mês de maio em combate a proliferação do mosquito no município.

Entre as metas estipuladas, está a revisão sistematicamente da Unidade de Saúde em busca de possíveis focos de mosquitos, no mínimo com periodicidade semanal e, se for possível, devem ser eliminados mecanicamente. A Unidade Básica de Saúde também deve garantir atendimento médico e/ou de enfermagem de segunda à sexta-feira, com acolhimento à demanda espontânea durante todo o horário de funcionamento da UBS.

O trabalho preventivo e instrutivo também está entre as diretrizes que serão reforçadas. A equipe intensificará as ações educativas promovidas junto à comunidade sobre o manejo ambiental – inclusive ações de combate a vetores – e proteção individual, em especial por meio de atividades na sala de espera. A Secretaria da Saúde deve oferecer acesso facilitado de todas as gestantes a consultas do pré-natal. Também deve haver maior participação das ações de PVE, Pesquisa Vetorial Especial, realizada em conjunto com os ACEs na busca de outros casos suspeitos a partir de uma notificação, além de orientações reforçadas a respeito do trabalho dos agentes comunitários de saúde (ACSs).

A medida emergencial determina, inclusive, que até maio deste ano todos os dos agentes comunitários de saúde readéquem a rotina de trabalho diante de diretivas como a dedicação de 20h da carga horária semanal para desenvolver atividades exclusivamente relacionadas ao controle ambiental do vetor e buscar focos do Aedes nos domicílios e na comunidade. De acordo com o Plano de Ação, no restante da carga horária semanal, o ACS deve priorizar atividades relacionadas à linha materno-infantil, bem como acompanhar famílias prioritárias (a serem definidas em conjunto com o enfermeiro da unidade em visitação dos domicílios de todas as gestantes da sua microárea, conforme as orientações do Plano de Ação, a cada sete ou dez dias no máximo).

As novas diretrizes visam, como explica a prefeita de Santo Antônio do Planalto, Cristiane Alberton Franco, capacitar ainda mais os profissionais da Saúde na luta contra o aedes aegypti. “Através do trabalho mais intenso de toda a equipe da Saúde, assim como as agentes de endemias e as agentes comunitárias de Saúde, estamos incorporando ainda mais nossas ações contra o aedes aegypti. Porém, essa é uma batalha que não podemos lutar sozinhos, precisamos do apoio da população. Somente se trabalharmos juntos poderemos afastar esse mosquito do nosso município”, avalia.

(Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Santo Antônio do Planalto)

Compartilhe: