SANTO ANTÔNIO DO PLANALTO – Município retoma área antes cedida para instalação de empresa

O Executivo de Santo Antônio do Planalto retomou a área que havia sido cedida em 2014 à empresa Carmetal para a instalação de um empreendimento no município. A retomada da área foi oficializada junto ao 1º Tabelionato em Carazinho no dia 18 de outubro de 2016. Agora, a área volta a integrar o patrimônio do município.

Localizada às margens da BR 386 na saída de Santo Antônio do Planalto em direção a Carazinho, a área possui aproximadamente 12 hectares e está avaliada em cerca de R$ 500 mil. O município havia cedido o local para que a Carmetal, atualmente sediada em Carazinho, instalasse um empreendimento em Santo Antônio do Planalto. A articulação em torno da vinda da empresa ocorreu através do Executivo e os vereadores da Câmara Municipal aprovaram a cedência da área por unanimidade.

Na época, a expectativa da empresa, que produzia peças para veículos rodoviários e implementos agrícolas, era de iniciar a construção da obra em 2015. A projeção divulgada em 2014 pela direção da empresa era de que seriam abertas inicialmente 150 vagas diretas de trabalho, chegando a 400 até o ano de 2019. A projeção da empresa apontava também que seriam gerados inicialmente 300 postos indiretos, em torno de 900 até 2019, priorizando mão de obra local desde os setores administrativos até a produção. Mas o projeto de instalação da empresa não confirmou-se e a obra não foi realizada.

O principal fator apontado para a não instalação é a grave crise econômica e política que o país atravessa desde meados de 2014, um momento de desaceleração da economia. “Infelizmente, a vinda da Carmetal não ocorreu por motivos alheios à nossa vontade. Cumprimos com a nossa parte, dialogando com os empresários e facilitando a instalação da empresa com a cedência de uma área para a construção. Lamentavelmente, o país atravessa um momento de crise profunda, a pior das últimas décadas, e muitas empresas estão demitindo pessoal ou até fechando as portas. E esse cenário tem feito com que os empresários ajam com maior cautela em relação a grandes investimentos. A não instalação da Carmetal acabou dificultando nosso objetivo de auxiliar na geração de novas vagas de emprego no município, algo que não depende somente do Poder Público, mas principalmente da iniciativa privada.

Na época, o projeto que nos foi apresentado era promissor, tanto que os nove vereadores aprovaram por unanimidade a lei municipal que cedeu a área. Infelizmente, a instalação da empresa acabou não ocorrendo”, relata a prefeita de Santo Antônio do Planalto, Cristiane Alberton Franco.

O contrato de concessão da área possuía uma cláusula de inalienabilidade, ou seja, a área não podia ser transferida para outra empresa. O Poder Executivo também precaveu-se garantindo que a área voltasse ao patrimônio municipal caso o projeto não fosse concretizado, o que acabou ocorrendo, garantindo a segurança do patrimônio público da população santo-antoniense.

(Prefeitura de SANTO ANTÔNIO DO PLANALTO)

Compartilhe: