Rio Grande do Sul tem duas das cidades brasileiras com os nomes mais curiosos

O saite da revista Veja – em matéria assinada pelo jornalista Danilo Rodrigues – publicou no último dia 19 curiosa matéria sobre cidades com nomes curiosos, que podem se transformar em opções para viajar ainda em julho, ou nas próximas férias.

“Tá sem opção para viajar? Já pensou em passar as férias em Anta Gorda, dar uma descansada em Travesseiro e depois matar a solidão em… Solidão?” – pergunta o jornalista.

Ele mesmo responde que é possível, após ter selecionado – entre os 5.565 municípios do Brasil – alguns com nomes no mínimo… estranhos! (“e nada pessoal se uma delas for a sua cidade, hein”).

1. Anta Gorda (Rio Grande do Sul) – Uma vez, mataram uma anta muito grande e gorda, que ficou famosa. Quando queriam falar do lugar, era ‘onde mataram a anta gorda’… Infelizmente, deve ser a única cidade do Sul que, mesmo repleta de beldades, não tem concurso de beleza – afinal, ser a ‘miss Anta Gorda’ seria meio desagradável

2. Solidão (Pernambuco) – Ao que consta, Solidão tem esse nome porque seu fundador, um senhor de escravos, resolveu fincar pé no lugar mais distante – e solitário – que achou, longe de índios e animais selvagens.

3. Sem Peixe (Minas Gerais) – O saite da Prefeitura tem um subtítulo digno das periguetes: “fácil de gostar, difícil de esquecer”. A agradável cidade da Zona da Mata mineira tem esse nome por causa de índios frustrados que não conseguiram pescar nada no rio que corta a cidade. A ele deram o nome de ‘Piracuera’, que significa ‘sem peixe’.

4. Pendências (Rio Grande do Norte) – Já faz muito tempo que tem gente morando lá, desde o século XVI. E desde aquela época, havia pendências entre os colonizadores e os nativos para ver quem mandava na cidade. No entanto, o mais curioso é que a terra era chamada antes de ‘Independência’! Nada faz muito sentido. Se for visitar a cidade, não perca o forró da banda Garota Safada, hein?

5. Travesseiro (Rio Grande do Sul) – Pense numa cidadezinha paraaada, onde não acontece nada e que mal dá pra ver de cima (como aí nessa foto). Diminua a temperatura média no inverno para 0ºC. Você vai parar em Travesseiro, com pouco mais de 2.500 habitantes. O nome? Os lendários tropeiros gaúchos usavam a cidade como lugar de repouso, deitando-se a beira de raízes bem confortáveis… como travesseiros!

6. Morro Cabeça no Tempo (Piauí) – Cidadela encravada na fronteira do estado com a Paraíba, não tem grandes atrativos, a não ser esse morro em formato de… cabeça (foto). Relatos encontrados dão conta de que o acesso é beeem complicado. Até o senador piauiense Heráclito Fortes disse que algo era tão difícil que pra piorar só faltaria ‘ser explicado aos moradores de Morro Cabeça do Tempo’.

Espaço Vital

Compartilhe: