Protestos violentos contra filme anti-islâmico prosseguem nos países muçulmanos

Novos protestos contra um filme anti-islâmico de produção norte-americana foram registrados em vários países muçulmanos, deixando ao menos uma pessoa morta. Desde a semana passada, a onda de violência chegou à Europa e à China. As representações diplomáticas dos Estados Unidos e de países aliados são alvos das manifestações.

Na capital do Afeganistão, Cabul, houve trocas de tiros entre policiais e manifestantes. Carros da polícia foram queimados. No Paquistão, na região de Khyber Pakhtunkhwa, um manifestante foi morto durante troca de tiros com a polícia. Em Peshawar, uma das maiores cidades do país, estudantes saíram às ruas em protesto.

Nas Filipinas, cerca de 3 mil pessoas queimaram bandeiras israelenses e norte-americanas na cidade de Marawi. No Iêmen, um protesto de estudantes pediu a expulsão do embaixador dos Estados Unidos no país. Houve protestos também na Indonésia, em territórios palestinos e na região indiana da Caxemira. Ainda são esperados protestos no Líbano, após uma convocação do Hezbollah.

O filme Innocence of Muslims (Inocência dos Muçulmanos, em tradução livre), uma produção amadora feita nos Estados Unidos, gerou uma onda de violência em países muçulmanos, por retratar Maomé e o islamismo de forma ofensiva.

Na semana passada, um ataque ao Consulado dos Estados Unidos em Benghazi, na Líbia, que matou o embaixador norte-americano Chris Stevens e três funcionários. A representação foi invadida e incendiada.

Agência Brasil

Compartilhe: