Plantio antecipado garante qualidade no processo de certificação de sementes

Enquanto a maioria dos produtores rurais semeia a soja no final de outubro ou no início de novembro, na Fundação Pró-Sementes este trabalho começa antes. Isso porque o processo de certificação de sementes oferecido pela Fundação está baseado no sistema de pré e pós-controle.

Para a realização deste trabalho, foram plantadas, entre os dias 16 e 18 de outubro, no interior de Passo Fundo (RS), parcelas de cultivares de soja (RR e convencional) e feijão. A semeadura foi realizada em solo com umidade adequada e com boa palhada. Essas condições, aliadas a chuvas esporádicas, têm garantido o bom desenvolvimento das plantas.

A antecipação do plantio das parcelas para a certificação de sementes permite a obtenção de informações prévias das condições que o sementeiro encontrará no seu campo. Esses dados são informados aos produtores de sementes, que têm a possibilidade de tomar medidas para corrigir possíveis inconformidades, como a realização do roguing, (limpeza do campo).

As parcelas são acompanhadas pelos profissionais da Fundação Pró-Sementes, que realizam os mesmos tratos culturais indicados para campos de produção de sementes.

No campo de Passo Fundo, são testados os lotes certificados nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Da mesma forma, são implantados campos de pré e pós-controle no Paraná (para a certificação de sementes do Paraná e São Paulo), e em Mato Grosso (para a certificação de sementes do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e da Bahia).

“O pré-controle é a base do processo de certificação de sementes da Fundação Pró-Sementes”, explica o biólogo Renan Canzi Comin, responsável pela condução dos campos. O sistema foi adaptado do padrão europeu e permite o acompanhamento da pureza varietal e identidade genética das cultivares certificadas.

De acordo com Comin, no atual estágio de desenvolvimento das plantas já é possível avaliar o vigor e a germinação das sementes. Além disso, são realizadas análises no período de floração e pré-colheita.

Entre os diferenciais do uso de uma semente certificada destacam-se o seu controle de gerações, padrão de qualidade garantido pelo produtor de sementes e por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura e a segurança de estar utilizando um insumo registrado. Além disso, é através da semente certificada que são introduzidos no campo os mais recentes avanços do melhoramento genético vegetal.

(Assessoria de Imprensa – Fundação Pró-Sementes)

Compartilhe: