PASSO FUNDO – Treinos virtuais ganham força no Passo Fundo Futsal

Em tempos de pandemia e ainda sem poder voltar às quadras, equipe segue apostando na alternativa via internet. Modelo deverá ser adotado mesmo após a Covid-19

De início, o estranhamento. Acostumados a viver o dia a dia das quadras, campos, treinos e jogos, os times esportivos tiveram que viver um “novo normal”. Aos invés das atividades presenciais, o computador passou a ser peça fundamental. E assim os treinos virtuais ganharam corpo, força e novas aplicações. Tanto é que devem ser adotados mesmo após a pandemia.

É o caso do Passo Fundo Futsal. O clube vinha em fase final de pré-temporada visando as competições de 2020. No planejamento, começar com tudo o ano e, se possível, levantar títulos entre as principais equipes do salonismo gaúcho. Mas veio a pandemia e o plano teve de ser refeito. Cada um em sua casa, todos interligados e participando das atividades on-line.

Assim é há mais de quatro meses. De sua casa, em Criciúma, o treinador Juninho e sua comissão técnica formataram quatro módulos de treinos virtuais, abrangendo aspectos físico/ técnico/ tático, emocional e individual. “Abordamos sistema de ataque, de defesa, correções nas individualidades. Por isso criamos grupos de três atletas, até para facilitar correções” diz. Funciona da seguinte forma: durante toda a semana, através da ferramenta Google Meet, são apresentados slides e vídeos da equipe, com informações e correções para os grupos.

Na visão de Juninho, “é a rememoração dos jogos, para que os atletas tenham o retorno da lembrança de tudo o que vinham fazendo na pré-temporada. Estamos no terceiro módulo, faltando apenas mais um. Nós não deixamos de trabalhar ao longo da pandemia”. A lógica é que, quando retornarem aos treinos presenciais, os jogadores estejam com a memória tática do jogo bem definida.

Até quando?
Embora ainda reste um módulo a ser trabalhado, o treinador garante que o Passo Fundo Futsal está pronto para retomar as atividades em quadra. “Eu acredito que estamos a qualquer momento para voltar à parte tática. O treino presencial é a base de tudo e precisamos praticar” salienta.

E a maneira de trabalhar daqui para frente será um somatório do virtual com o presencial, garante. “Através dessa inovação dos treinos virtuais, na parte tática e motivacional, vou dotar isso como plataforma, pois dá muito certo. Por exemplo, se um atleta tiver alguma dificuldade em quadra, vamos trabalhar individualmente. Deu tão certo que serve de modelo para outros treinadores também. Foi uma inovação. É uma ferramenta de treino que vai permanecer” finaliza.

Diário da Manhã

Compartilhe: