PASSO FUNDO – Comerciários rejeitam proposta do Sindilojas e dizem que comércio não abrirá mais nos feriados

Postado em 29 julho 2019 06:02 por JEAcontece
15.292.411/0001-75

Assembleia que deliberou sobre o tema ocorreu na noite desta quinta-feira (25) e teve a participação de mais de 90 trabalhadores

Em assembleia realizada na noite desta quinta-feira (25), mais de 90 trabalhadores do comércio de Passo Fundo decidiram pelo fechamento das lojas nos feriados. Com isso, o impasse sobre a convenção coletiva 2019-2020 continua.

De acordo com o presidente do Sindicato dos comerciários, Tarciel da Silva, a categoria decidiu pela não abertura das lojas nas datas após tentativas fracassadas de acordo com o Sindilojas, Sindicato patronal. Além desse ponto, os comerciários rejeitaram a proposta do Sindilojas de não fazer a homologação das rescisões no sindicato laboral.

Na visão de Tarciel, “os empresários querem tirar direitos dos trabalhadores”. “A gente simplesmente ratificou o que já estava decidido na última assembleia, como os empresários não nos apresentaram proposta nenhuma e disseram em documento assinado que não vão dar a rescisão no sindicato, não vão garantir os direitos dos trabalhadores. Ele [Jefferson Kura] ainda diz que está disposto a negociar, ele não dá nada, não nos oferece nada e ainda tem a cara de pau de dizer que quer negociar”, disse.

Tarciel ainda comentou que o Sindicato não deve encaminhar nenhum documento ou ofício para o Sindilojas para informar a decisão. “Enquanto eles não pagarem o que a gente quer para os trabalhadores, se não garantirem os direitos dos trabalhadores, não se abre mais nos feriados em Passo Fundo”, afirmou.

Na semana passada, o presidente do Sindilojas, Jefferson Kura, em entrevista coletiva disse que o sindicato adotaria uma postura mais “radical”. Na ocasião, Jefferson comentou que a entidade orientou aos lojistas a retirarem o pagamento de 100% das horas extras dos domingos como forma de pressionar o sindicato laboral.

POSSIBILIDADE DE PROTESTOS
Quando questionado sobre a possibilidade de ter novos protestos – em junho dois protestos de trabalhadores da Havan aconteceram – Tarciel diz que está tranquilo. ” Se os trabalhadores querem trabalhar domingos e feriados sem receber, o problema é deles. Nós não vamos assinar. As empresas não podem abrir, elas teriam de pagar multa, é uma lei nacional”.

Diário da Manhã

Postado em 29 julho 2019 06:02 por JEAcontece
15.292.411/0001-75
TAPERA TEMPO

Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop