PASSO FUNDO – Cinco pessoas são indiciadas pela polícia no crime da Chacina da Cohab

A polícia civil concluiu nesta quinta-feira, 23, o inquérito policial que investigou a chacina da Cohab em Passo Fundo.

Cinco pessoas foram indiciadas pelas mortes de Dienifer Padia, 26 anos, Alessandro dos Santos, 34, e Ketlin Padia dos Santos 15.

Os indiciados foram Eleandro Roso que foi patrão e teve uma filha, fruto de um relacionamento extra conjugal com Dienifer, Fernanda Rizzotto e Claudiomir Rizzotto, mulher e cunhado de Roso, além do ex-policial militar Luciano Costa dos Santos e Monalisa Kich Anunciação.

Os cinco envolvidos foram indiciados por homicídio quadruplamente qualificado. Feminicídio, pagamento de recompensa, asfixia, emboscada e meio que dificultou defesa das vítimas.

Dos acusados somente Eleandro Roso está preso. Fernanda, Claudiomir e Costinha tiveram a prisão preventiva decretada e são considerados foragidos da Justiça. Monalisa chegou a ter o seu pedido de prisão solicitado pela polícia mas o pedido foi indeferido.

Para a polícia a motivação do crime seria o relacionamento extra conjugal e exigências financeiras que Dienifer passou a fazer após o nascimento da filha. Alessandro e Ketlin foram mortos, segundo a investigação, por estarem no local no momento em que os criminosos foram até onde o crime ocorreu.

A polícia não identificou os executores do crime.

O que diz a defesa dos acusados
Flávio Algarve que responde pela defesa de Costinha disse a reportagem da Uirapuru que analisou o inquérito e adiantou que não concorda com os elementos indiciários colhidos e com os termos da decisão que decretou a prisão preventiva de seu cliente.

Algarve disse ainda que está elaborando um habeas corpus para ingresso no tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Eleandro Roso.

Monalisa Kich Anunciação não tem advogado constituído até o momento.

Rádio Uirapuru

Compartilhe: