Número de mortes por gripe A sobe para 23 neste ano no Estado

Conforme o boletim divulgado na noite desta segunda-feira pelo site da Secretaria Estadual da Saúde, o Rio Grande do Sul registra 145 casos de gripe A em 57 municípios, com 23 mortes. Na última parcial disponível, do dia 4, eram 99 registros e 15 óbitos.

Os oito novos óbitos foram registrados nas cidades de São Borja (3), Soledade (1), Vitória das Missões (1), Alecrim (1), Porto Alegre (1) e Santo Ângelo (1). Os números confirmam a tendência de aumento da circulação do vírus no Estado — conforme publicado em reportagem nesta segunda-feira, em ZH, o pico deve acontecer na segunda quinzena de julho.

Leia mais notícias sobre a gripe A

Veja informações sobre os novos óbitos confirmados:
1- Criança de 2 anos, residente de São Borja. Não fez vacina, não apresentava a saúde debilitada por doença preexistente. Faleceu no dia 4 de julho.
2- 30 anos, residente de São Borja. Não vacinada, não apresentava a saúde debilitada por doença preexistente, mas era tabagista e dependente química. Morreu em 5 de julho.
3- 28 anos, residente de São Borja. Não apresentava a saúde debilitada por doença preexistente, não vacinado. Falaceu em 4 de julho.
4- 43 anos, residente de Soledade. Não vacinado, tabagista e pneumopata crônico. O óbito ocorreu no dia 29 de junho.
5- 45 anos, masculino, residente em Vitória das Missões. Não apresentava a saúde debilitada por doença preexistente. Não era vacinado. Faleceu no dia 4 de julho.
6- 46 anos, masculino, residente de Alecrim. Apresentava a saúde debilitada por doença preexistente, não vacinado. Óbito em 08 de julho.
7- 59 anos, feminino, residente de Porto Alegre. Paciente imunodeprimido, pneumopata crônico e renal crônico. O óbito foi em 7 de julho.
8 – 43 anos, masculino, residente em Santo Ângelo. Não era vacinado e nem apresentava a saúde debilitada por doença preexistente. Óbito em 8 de julho.

Principais sintomas da gripe A:
– Tosse e espirros
– Fortes dores no corpo, na cabeça e na garganta
– Febre alta,acima de 38°C
– Pode haver náuseas, vômitos e diarreia
– Falta de ar

Para prevenir a contaminação, é aconselhado:
– Higienizar as mãos com frequência, principalmente após tossir ou espirrar
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal
– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca
– Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal
– Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social
– Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração
– Ventilar os ambientes.

Clicrbs

Compartilhe: