Não-Me-Toque projeta a adesão ao SUASA-SISBI

A Administração Municipal de Não-Me-Toque através da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, juntamente com Serviço de Inspeção Municipal e Vigilância Sanitária, promoveram uma reunião com os agricultores proprietários das agroindústrias locais nesta terça-feira (11), com o objetivo de debater sobre os benefícios dos sistemas de inspeção – SUASA-SISBI e SUSAF-RS e serviços de inspeção municipais.

Na oportunidade o Veterinário da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente Rogério Kissmann, relatou aos presentes a importância do Município aderir ao SUASA-SISBI, para ampliar o leque de comercialização dos seus produtos, sendo que a migração para o novo sistema parte do Município e não dos Agricultores. Também foi ressaltado que as Agroindústrias, terão apenas que adequar alguns procedimentos, os quais terão todo o apoio do servidores do SIM, sem a necessidade de adequar os estabelecimentos.

Todos os presentes concordaram com a proposta e aceitaram o convite da Administração em começar o trabalho de adesão.

Com a Adesão ao Sistema SUASA – SISBI, o limite de comercialização dos produtos, antes restrito no âmbito municipal, será ampliado para todo o território nacional, difundindo a nossa produção, com melhora no faturamento das pequenas empresas dos agricultores.  O Sistema tem como característica a voluntariedade, ou seja, somente as agroindústrias que desejarem participar serão incluídas.  As demais que desejarem continuar comercializando somente em Não-Me-Toque, continuarão com seu trabalho normal.

O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Ivan Cesar Machry, explanou sobre a revogação da legislação que atribuía à Secretaria e ao SIM (Sistema de Inspeção Municipal) a inspeção dos produtos de origem vegetal. O SIM, portanto, tem a incumbência de inspecionar o processo de industrialização dos produtos de origem animal. A vigilância sanitária acompanhará as agroindústrias de panificação, doces e compotas além de todo o processo de armazenamento, distribuição e comercialização de produtos de qualquer natureza.

A legalidade e o devido registro do empreendimento agroindustrial, submetido à inspeção dos produtos e dos estabelecimentos proporcionam não somente ao produtor uma certificação de seu produto, mas também oferece garantias de qualidade e inocuidade dos alimentos ao consumidor final. Desta forma, enfatizou-se a periodicidade do acompanhamento das agroindústrias e do processamento dos alimentos, bem como a necessidade de exames laboratoriais periódicos, envolvendo a análise microbiológica da água e dos produtos, que serão realizadas em laboratórios certificados pelo INMETRO- Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

Ficou registrado também, nesta oportunidade, que os produtos de origem animal e/ou vegetal, livremente comercializados, sem os devidos rótulos e registros, são considerados clandestinos, podendo colocar em risco a saúde da população e dos consumidores.

“Esta migração ao sistema SUASA-SISBI é uma determinação da nossa Prefeita Teodora, e após implantando irá garantir uma certificação de qualidade dos produtos produzidos, além de possibilitar as agroindústrias comercializar seus produtos em nível nacional”, comentou o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Ivan Cesar Machry.

(Charles Morais – Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Não Me Toque)

Compartilhe: