NÃO-ME-TOQUE – Novas ações para diminuir o gasto com lixo

Postado em 14 março 2013 08:10 por jeacontece
15.292.411/0001-75

No Município de Não-Me-Toque, conforme resultado das primeiras etapas do Plano Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos Urbanos estima que cada cidadão produz cerca de um 1kg de lixo dia. Gerando assim toneladas por semana, nas primeiras etapas de análise do projeto constatou-se que 80% do lixo recolhido no Município é reciclável sendo considerado um lixo rico comparado com outras cidades onde não se atinge essa meta.

Sai dos cofres públicos em torno de R$ 1.250,000,00 anual para o recolhimento do lixo, mais R$ 850,000,00 que é pago pelo munícipe através da taxa de recolhimento do lixo, estima-se em torno de R$ 2.100,000,00 gasto anual somente no recolhimento do lixo que é produzido no Município .

O Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos Urbanos já esta em andamento no Município com o principal objetivo de instalar uma cooperativa de reciclagem aproveitando os 85% do nosso lixo que é reciclável diminuindo assim os gastos públicos e dignificando o trabalhador que faz essa coleta na cidade.

Até o alcance dos objetivos desse plano, o Prefeito Municipal Antônio Vicente Piva assinou no dia 6 de março um protocolo de intenções com a empresa Inverjuvi Plataforma Sistem de Panambi, o objetivo da empresa Inverjuvi é implantar uma usina de reciclagem onde é necessário 250 toneladas de lixo para o funcionamento. A empresa esta buscando mais municípios parceiros para conseguir as toneladas de lixo necessária para a geração de energia.

Esse lixo será fonte de energia elétrica, a maior parte dos problemas causados pelo lixo pode ser resolvida com sua conversão em energia. E a energia, hoje tão cara e sob a ameaça de escassear num futuro bem próximo, poderia ter uma fonte de abastecimento inesgotável – e ecologicamente correta.

A energia via lixo pode iluminar casas, ativar indústrias e mover carros. Suas vantagens são muitas. Ecologicamente falando, haveria a diminuição dos aterros sanitários e lixões, menor produção de gases poluentes, menos riscos ao meio ambiente e uma fonte mais de energia limpa e renovável.

No lado social, essa técnica promoveria menos riscos à saúde humana (causados pelos lixões e aterros, pelos gases poluentes que produzem e pela poluição em geral), geraria mais empregos (nos postos de coletas, nos postos de reciclagem e nas usinas), e forneceria energia mais barata.

O Prefeito Municipal Antônio Vicente Piva, ao analisar o protocolo de intenções afirmou a intenção do Município em aderir:
– Hoje o lixo coletado em Não-Me-Toque, vai para o aterro da empresa Simpex em Palmeiras das Missões a empresa cobra por esse serviço de classificação e destino final do lixo o que representa cerca de 21% do valor contratado. Esse primeiro ato foi somente de intenções do Município, após será analisado a viabilidade pela equipe do meio ambiente. Com a possibilidade dessa futura usina iremos cuidar do meio ambiente e também trazer energia renovável e não iremos mais ter custo com o destino final do lixo, nem o custo de classificação, o custo será diminuído também pela questão logística pois a cidade de Panambi é mais próxima comparando a Palmeiras das Missões, a empresa responsável pela coleta terá menos custo e consequentemente iremos economizar dinheiro público, aplicando assim em outras áreas como saúde e educação que constantemente precisam de investimentos. Destacou Piva.

(Assessoria de Comunicação – Prefeitura de Não-Me-Toque)

Postado em 14 março 2013 08:10 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


TAPERA TEMPO

Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop