NÃO-ME-TOQUE – Município busca revisão na estimativa de aumento populacional

Objetivo é se enquadrar em outra faixa de repasse do FPM, o que aumentaria o valor recebido pelo município em R$ 3 milhões

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Não-Me-Toque possui uma população de 15.936 habitantes. O Executivo municipal, com base em outros dados, deverá pedir uma revisão na estimativa de aumento populacional.

Representantes da Prefeitura já tiveram uma reunião com o IBGE sobre a questão. “Nós tivemos uma audiência em Porto Alegre com um superintendente do IBGE. Fomos muito bem tratados, mas eles estavam muito bem preparados para questionar os nossos argumentos. No dia 2 de setembro sai uma publicação no Diário Oficial da União com a estimativa do aumento populacional dos municípios. Eles abriram a possibilidade para questionarmos a publicação, mostrando que nós não estamos satisfeitos com o número. Assim que sair o índice, iremos questioná-lo, com base em alguns argumentos”, afirmou a vice-prefeita Teodora Lütkemeyer .

Pessoas inscritas no SUS
Um dos argumentos utilizados pelo município é o número de pessoas inscritas no Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo Teodora, são 21 mil pessoas inscritas.

Outro argumento é o número de eleitores do município. “Nós temos diversos aspectos nessa questão que não nos conformamos com o número de habitantes apresentado pelo IBGE, até porque, como o número de eleitores. Municípios que têm, como nós, 12.500 eleitores, geralmente têm em torno de 18 mil habitantes”.

A população também cresce entre os jovens. “Outro aspecto importante é a evolução no número de jovens que fazem o alistamento militar obrigatório. Durante muitos anos, eram cerca de 100 jovens que se alistavam. Porém, neste ano, foram 150. Isso prova que muitas das pessoas que estão trabalhando na cidade também estão vindo morar aqui”, destacou.

Por falar em pessoas que residem no município, esse é outro ponto que reforça o pedido de revisão da estimativa de aumento populacional de Não-Me-Toque. “O IBGE colocou que Não-Me-Toque teria em torno de 270 casas sem estarem ocupadas. Isso é uma inverdade total. Hoje, em Não-Me-Toque, as pessoas que querem vir morar aqui demoram três, até quatro meses para conseguir uma moradia. Isso ocorre mesmo com o aumento no setor da construção civil. Não há casas vazias em Não-Me-Toque. Há também a questão de que, desde 2010, foram feitos 1500 pedidos de Habite-se para residências em Não-Me-Toque. É outro número expressivo”, revelou a vice-prefeita.

Como uma nova contagem da população só está prevista para ocorrer em 2015, Não-Me-Toque deverá aguardar até o dia 2 de setembro, quando será divulgada a estimativa de aumento populacional dos municípios.

Não-Me-Toque busca essa revisão por conta do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Ocorre o seguinte, se aumentar 800 habitantes no município, nós mudamos a faixa do (FPM), o que significa que o município iria receber, por ano, cerca de três milhões de reais a mais. Por isso estamos questionando, não podemos perder esse valor. Esse é o nosso principal foco”, finalizou a vice-prefeita Teodora Lütkemeyer.

(Assessoria de Comunicação – Prefeitura de Não-Me-Toque)

Compartilhe: