NÃO-ME-TOQUE – Mobilização em prol da ERS 142

Na sexta-feira (11) a Administração Municipal, Câmara de Vereadores e Empresas de Não-Me-Toque estiveram reunidas no Gabinete da Prefeita Teodora Lütkemeyer para tratar sobre a precariedade da ERS-142 no trecho que liga Não-Me-Toque a Carazinho. Na oportunidade também esteve presente o Secretário de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã João Mota. O Secretário foi recebido em Não-Me-Toque onde ouviu sugestões e fez algumas colocações aos presentes, que após se dirigiram à Carazinho onde se reuniram com o Prefeito Renato Süss, Vereadores e representantes de empresas locais.

Foi entregue ao Secretário Estadual um dossiê com informações e da rodovia, especialmente sobre os acidentes, buracos, degraus para o acostamento e arvores ao longo da estrada. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual em quatro anos houve 225 acidentes, sendo destes 94 com danos materiais, 117 com lesões corporais e 14 com vitimais fatais. As árvores que estão na beira da estrada, geram riscos aos condutores devido a galhos que atravessam a pista, atrapalhando assim o fluxo de veículos mais altos e que muitas vezes fez com que pessoas perdessem a vida em colisões com estas inúmeras árvores de tamanho incompatível com a segurança. O acostamento também é uma das prioridades abordadas pelos municípios devido à falta de estrutura de escape e falta de pavimentação no acostamento, além do degrau existente em toda rodovia, o que aumenta o risco de acidentes.

Precariedade em uma das mais antigas rodovias estaduais

A ERS-142 que liga Não-Me-Toque – Carazinho teve sua construção feita de 1954 a 1957, possuindo 22 Km entre os dois municípios e 23 curvas ao longo do trecho.  A precariedade da rodovia é visível, pista de rodagem curta, desnivelamento e acostamento precário, além dos buracos na malha viária e muitas árvores nas suas laterais tornam o trecho perigoso, perigo que se agrava devido ao grande fluxo de veículos que trafegam diariamente.

Segundo técnicos do SEINFRA, a falta de drenagem e manutenção não realizada pelo DAER comprometeu a conservação da RS, na qual operações tapa-buracos não resolvem mais o problema que vem se alastrando há anos.

Fluxo elevado preocupa Gestores

O trecho recebe grande fluxo de veículos durante o dia, pois a cidade de Não-Me-Toque é sede de grandes empresas como Stara, Jan, Cotrijal entre outras, que diariamente recebem mais de 2.000 funcionários para trabalhar. O fluxo de veículos de carga pesada nessa rodovia é grande devido ao transporte de cargas de máquinas agrícolas que saem de Não-Me-Toque, além de diariamente mais de 500 universitários se deslocam para Carazinho e Passo Fundo também colocam suas vidas em risco.

“Este trecho da ERS-142 é importante não somente para Não-Me-Toque e Carazinho, mas sim para o desenvolvimento da região, onde diariamente saem produtos que são exportados tanto para o mercado interno como externo, além de ser uma via de escoamento da produção de grãos. Porém nossa preocupação não é somente com a rodovia, mas principalmente com a vida das pessoas que nela diariamente trafegam”, coloca o Presidente da Câmara de Vereadores Gilson dos Santos.

O Secretário João Mota afirmou que a ERS-142 está prevista dentro Contrato de Reabilitação e Manutenção de Rodovias (CREMA), no qual o trecho está incluso no segundo lote de rodovias e deverá receber os cuidados até o final deste ano e que está em fase final de contratação. Ainda conforme o secretário, existe a possibilidade da inclusão desta estrada no CREMA Emergencial, onde um trabalho de manutenção temporária pode acontecer antes mesmo do mês de dezembro.

“Em todo o Estado totalizamos 2.300 km de malha viária a ser recuperada em etapas com uma estimativa de 8 anos para o trabalho ser concluído. Vamos trabalhar junto ao SEINFRA para que a ERS-142 seja incluída preferencialmente como estrada que deve ser duplicada, usando o mesmo método do Governo Federal e por fim marcar uma audiência com o DNIT em Carazinho para que cada município exponha o que será necessário para esta estrada.”

“A anos viemos cobrando medidas quanto a precariedade desta rodovia que além de ser uma das mais antigas recebe um fluxo muito grande de pessoas diariamente e que aumenta em determinadas épocas do ano como a Expodireto Cotrijal e a safra. A situação em que se encontra a RS 142 é crítica, buracos, desnivelamento e com um acostamento precário, o que gera muita preocupação principalmente na questão da segurança de quem trafega nesta rodovia.” Destacou a Prefeita Teodora Lütkemeyer

(Jaques Petry – Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Não-Me- Toque)

Compartilhe: