NÃO-ME-TOQUE – Lideranças veem a Expodireto como o motor do agronegócio

Postado em 08 março 2016 10:02 por jeacontece
15.292.411/0001-75

Em clima de otimismo, foi aberta oficialmente nesta segunda-feira, 7, em Não-Me-Toque, a Expodireto Cotrijal 2016. Feira segue até sexta, 11.

Com o parque tomado por estandes de expositores de máquinas, equipamentos, insumos, empresas públicas e entidades, a abertura contou com a presença maciça de lideranças políticas e dos segmentos agroindustrial e da agricultura familiar.

“Estamos provando mais uma vez que a Expodireto é a feira da tecnologia, da inovação e da oportunidade de negócios. Aqui não tem crise, não tem lugar para ela”, ressaltou Nei César Mânica, presidente da cooperativa e da feira que chega à sua 17ª edição. O dirigente destacou, em seu discurso, no auditório central, a presença de 70 países dos cinco continentes. “Estão aqui 26 embaixadores, o que mostra o tamanho e a natureza global de nosso evento”, completou Mânica.

Na sua avaliação, a crise política que atinge o país não deverá interferir nos resultados da Expodireto, pois os interessados em inovar e desenvolver o Rio Grande do Sul estão presentes no parque. Ele disse que não há preocupação com o faturamento e com o estabelecimento de comparações com os resultados de anos anteriores.

Mânica também agradeceu a presença das principais montadoras de máquinas na feira. “Certamente teremos bons negócios aqui, pois é o agronegócio que mostra pujança em momentos de crise. Que tenhamos a maior e a melhor Expodireto de todos os tempos!”, enfatizou.

O governador José Ivo Sartori, que chegou ao parque às 8h47min, visitou a administração da feira e sorveu um chimarrão, destacou na abertura as homenagens que a Cotrijal fez no dia anterior a produtores, políticos e dirigentes durante o Troféu Brasil Expodireto. “O mais sensível foi ver um jovem produtor e um produtor mais experiente serem reconhecidos. Se estamos colhendo hoje é por causa de nossos bisavós, nossos avós e nossos antepassados, que plantavam sem utilizar qualquer tecnologia”, afirmou Sartori.

Para o governador, o cenário que observou ao chegar no parque foi de um segmento que exibe prosperidade, tecnologia e é capaz de fazer o país retomar seu desenvolvimento. “A Expodireto é gigante, foi crescendo, gerando debates, incentivando a pesquisa. É o atestado de que o agronegócio é o motor da economia do Rio Grande do Sul e atrai os olhares de todo o mundo”, enfatizou.

Sabedor de que falava para um público que mesclava os setores público e privado, Sartori afirmou: “Nós precisamos de uma máquina pública mais ágil, menos voltada para si mesmo. Precisa ter políticas para atender a uma sociedade que precisa e que não atrapalhe quem faz.”

Ele defendeu as medidas adotadas por seu governo para resolver a crise – “remédios são amargos em determinadas ocasiões e o tratamento deve ser sério e responsável” – e defendeu a união para que todos vençam as dificuldades. O governador destacou a importância de que os eventos programados por entidades sejam mantidos, pois a solução está nos municípios.

OPORTUNIDADE

Para a prefeita de Não-Me-Toque, Teodora Lütkmeyer, a Expodireto é uma oportunidade de mostrar que é possível inovar e oferecer oportunidade de negócio mesmo em um cenário de insegurança no país. “A nossa feira é uma vitrine e atesta porque Não-Me-Toque é conhecida como a Capital Nacional da Agricultura de Precisão”, disse. Também a presidente da Assembleia Legislativa, Silvana Covatti, destacou que a Cotrijal é um exemplo do rigor, da inovação e da busca pela excelência.

ILHA QUE DEU CERTO

Na avaliação do coordenador da bancada gaúcha na Câmara dos Deputados, Giovani Cherini, a Expodireto é “uma ilha que deu certo” e mostra que o País, o Estado e os municípios também podem seguir o exemplo. Ao seu ver, o setor cooperativo e outros setores que dão certo pagam pelos altos salários e aluguéis, pelas obras superfaturadas e pela corrupção. “Vamos lutar para defender o Rio Grande do Sul que dá certo”, defendeu.

ORGULHO DE CONHECER

Representando a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, o secretário de Política Agrícola do órgão, André Nassar, revelou orgulho em conhecer um lugar que gera tecnologia e incentiva a produção e a pesquisa. Ele reforçou que em um ano com PIB abaixo da expectativa e com o El Niño, o setor agropecuário ficou com um índice de 1,8%, o que mostra a sua pujança.

Nassar também lembrou que, em 2015, o valor liberado para comprar máquinas agrícolas foi de R$ 10 bilhões, “mas houve uma redução para R$ 5,2 bilhões neste ano em função da menor demanda”. Por isso, o ministério optou por trabalhar mais no custeio da safra. Ele admitiu, no entanto, rever o volume inicial em função de uma eventual aumento na demanda.

PRESENÇAS

Também participaram da abertura o vice-governador José Paulo Cairoli; a primeira-dama e secretária estadual de Políticas Sociais, Maria Helena Sartorti; o embaixador do Vietnã, Nguyen Van Kie; o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), João Augusto Nardes; o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder; o presidente da Farsul, Carlos Sperotto; o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius; os secretários estaduais da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcísio Minetto, de Transportes e Mobilidade, Pedro Westphalen, do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini; e de Minas e Energia, Lucas Redecker; o presidente do Simers, Claudio Bier; o presidente da Fecoagro, Paulo César Pires; o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva; o vice-presidente do BRDE, Odacir Klein, deputados federais e estaduais, além de representantes de autarquias e órgãos públicos.

Postado em 08 março 2016 10:02 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop