NÃO-ME-TOQUE – Bombeiros custariam mais de R$ 2,5 milhões em 4 anos

Comissão Pró-Bombeiros rejeita exigência do convênio para município pagar 10 trabalhadores

Nos últimos dias a Comissão Pró-Bombeiros que trata da implantação do Corpo de Bombeiros em Não-Me-Toque se reuniu diversas vezes para tratar das questões burocráticas de instalação. O levantamento de custos também foi um dos temas e causou espanto durante a reunião, no dia 5 de setembro.

O custo bombeiro para NMT em quatro anos de vigência do convênio para manutenção de equipamentos permanentes, caminhão, construção do prédio, com quatro servidores fica em torno de R$ 1.660.000,00 e com dez servidores o custo passa para R$ 2.452.000,00.

Com o Fundo Municipal de Reequipamento do Corpo de Bombeiros, que serve para investimentos e manutenção, alimentado com recursos das multas aplicadas pelos Bombeiros, doações e subvenções, a previsão de arrecadação em quatro anos ficaria em R$ 235.200,00.

Nesse período de vigência do convênio fica estabelecida uma divisão de tarefas e obrigações entre o município e o Estado.

Uma decisão da comissão foi a convocação das 20 maiores empresas do município para recolher sugestões para a implantação do Corpo de Bombeiros.
Na reunião marcada, nenhuma empresa compareceu. Agora será realizada outra reunião com o Comando do Corpo de Bombeiros em que o município irá apresentar uma proposta de menor custo aos cofres do município.

Um próximo passo poderá ser uma audiência pública sobre a implantação do Corpo de Bombeiros em NMT.

A comissão rejeitou a cláusula da Secretaria de Segurança do Estado que impõem para NMT a obrigatoriedade de oferecer, no mínimo dez servidores civis para atividade de bombeiros, até que a Brigada Militar classifique militares estaduais suficientes para execução das atividades.

Custo bombeiro Tapera Ibirubá e Soledade
Tapera: Município mantém com recursos próprios com 6 pessoas – 1 motorista, 2 efetivos, 3 emergências (Agente de Trânsito e de Sinistros) gastando R$ 85.000,00 por ano. O Fundo arrecada R$ 34.000,00 (material de limpeza, material de expediente, luz, água).

Ibirubá: Município mantém com recursos próprios 5 pessoas – 1 motorista, 1 auxiliar administrativo, 3 efetivos (Agente de Trânsito e de Sinistros) e gasta R$ 209.000,00 por ano. Manutenção: R$ 109.000,00 (aluguel, combustível, serviços, material de limpeza, material de expediente, luz, água, luz, telefone). Arrecada com o fundo R$ 60.000,00.

Soledade: Município mantém com recursos próprios 4 motoristas (hora extra, periculosidade, adicional noturno) gastando R$ 186.000,00 por ano. Manutenção dos veículos fica por conta do município e conta com as receitas do fundo para manutenção.

(Assessoria de Comunicação – Prefeitura de Não-Me-Toque)

Compartilhe: