Modo de Fazer Queijo Colonial será registrado como patrimônio imaterial de Carlos Barbosa

Há 102 anos, a Cooperativa Santa Clara produzia sua primeira forma de Queijo Colonial. Durante este mais de um século de história, o modo de fazer queijo foi modernizado e hoje é totalmente industrializado, mas é preciso resguardar o processo artesanal que é tão importante para a história da Cooperativa.

A fim de valorizar o conhecimento e resgatando sua importância para a história da Cooperativa e de Carlos Barbosa, onde a Santa Clara iniciou seus trabalhos e até hoje possui sua sede e indústrias, foi solicitado o registro do modo artesanal de fazer queijo como patrimônio imaterial do Município junto à Prefeitura de Carlos Barbosa.

A oficialização do reconhecimento deste patrimônio se dará nesta quarta-feira, dia 26, às 10 horas, no Auditório do Escritório Central da Cooperativa Santa Clara. Autoridades municipais, o Conselho de Administração e direção da Santa Clara e ex-queijeiros que atuaram na Cooperativa são esperados para o ato.

O MODO ARTESANAL DE FAZER O QUEIJO COLONIAL

O primeiro queijeiro da Santa Clara, Fausto Breda, aprendeu o ofício em Lodi, na Itália, em 1909. Breda foi queijeiro da Cooperativa, então Latteria Santa Chiara, até 1911, quando assumiu como mestre queijeiro José Chies. O conhecimento do modo artesanal de fazer o queijo foi passado para seu filho Armindo Chies, que exerceu a função de mestre queijeiro até o fim da década de 70.

O modo de fazer o Queijo Artesanal também foi documentado em vídeo, com participação dos ex-queijeiros da Cooperativa. Além de Armindo Chies, dão seus depoimentos os mestres queijeiros Octávio Felici Cini, Ildo Malvez, Adelino Guerra, Ângelo Pedrucci, Luiz Cini, Geraldo Antônio Pedruzzi e José Luis Ipar Pravia. Atualmente, o grupo está organizado na Associação do ex-queijeiros da Cooperativa Santa Clara.

A salva-guarda deste patrimônio será realizada através da Queijaria do Memorial Santa Clara.

SOBRE A SANTA CLARA

Com 102 anos de história, a Santa Clara é a mais antiga cooperativa de laticínios em atividade no Brasil. Com sede em Carlos Barbosa e presente, através de seus 5.000 associados, em mais de 100 municípios gaúchos, atua nos ramos de Laticínios e Frigorífico, Fábrica de Rações, Cozinha Industrial, Farmácia e 20 unidades de varejo, entre supermercados e mercados agropecuários, nos municípios onde possui associados.

(Assessoria de Comunicação da Santa Clara)

Compartilhe: