Máscaras: se não obrigar, pessoas também não usam na Europa

Diariamente, se verifica o debate nas redes sociais sobre a necessidade de as pessoas atenderem aos decretos, adotando o uso de máscaras de proteção, diante da pandemia de coronavírus. Poucas são as cidades em que se garante o perfeito atendimento das determinações.

Em Passo Fundo, também, é o quadro que se verifica. A grande maioria adota os seus cuidados, com o uso de máscaras, mas também se verifica a exceção. Multas estão sendo aplicadas em muitos locais. Existem pessoas que insistem em não utilizá-las em espaços públicos e nas ruas, gerando reclamações. É assim pelo Brasil inteiro.

Mas, essa não é uma realidade apenas brasileira. Na Europa, o desafio das autoridades é fazer com que as pessoas adotem esse hábito diário de utilização das máscaras de proteção, bem diferente dos povos orientais que já faziam a utilização antes dessa pandemia.

Segundo a passo-fundense Priscila Raquel Marques, falando direto de Roma (Itália), para o programa Conexão Planalto News, na Europa é verão. O calor está quase insustentável e as pessoas resistem na utilização das máscaras. Apenas as estão utilizando em função da obrigação. Para garantir o cumprimento, as autoridades contam com as câmeras de videomonitoramento, aplicando multas a quem não atende à determinação.

Na região italiana da Lombardia, a mais afetada pelo novo coronavírus, as multas foram fixadas com valores elevados. Elas chegaram aos euros (cerca de R$ 2,3 mil) a todos os cidadãos que saírem às ruas sem máscaras ou, na falta delas, com lenços cobrindo a boca e o nariz.

Rádio Planalto

Compartilhe: