Mantega nega alta de 15% na gasolina, mas não descarta reajuste

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou nesta quarta-feira que a Petrobras esteja planejando um aumento de 15% no preço da gasolina para o ano que vem. A informação saiu hoje no jornal Folha de S.Paulo e, segundo a publicação, a alta se estenderia também ao diesel e já seria sentida em 2013. No entanto, Mantega afirmou que ajustes serão feitos no momento oportuno.

“Não há demanda nenhuma da Petrobras, há uma notícia no jornal. É um equívoco, a Petrobras não tem nenhuma dificuldade de caixa, tem um caixa muito maior do que você imagina, é o maior caixa de todas as empresas brasileiras. Ela não tem dificuldade de investimento. Temos de ficar felizes que o custo do combustível não está crescendo, seja porque o governo eliminou a CIDE, que são R$ 7 bilhões neste ano justamente para não aumentar o preço para a população. No momento certo, haverá atualização”, afirmou o ministro.

Sobre a alta do dólar, que ontem fechou a R$ 2,08, maior patamar em três anos, Mantega considerou o movimento normal e disse que o governo brasileiro procura intervir “o menos possível” no câmbio. “A maioria das moedas se desvalorizou em relação ao dólar. O que houve é uma apreensão maior em relação às economias americana e europeia. Com isso, os mercados ficaram mais nervosos e houve valorização do dólar e desvalorização de todas as outras moedas, então, o real apenas acompanhou isso. Nós procuramos intervir o menos possível no câmbio, e ele teve flutuação normal”, disse.

Terra

Compartilhe: