Maior parte da safra de soja já foi comercializada

Os produtores brasileiros de soja já comercializaram 75% da safra 2011/2012. Em igual período do ano passado, a comercialização somava 62% da produção, sendo que a média para o período é de 58%, de acordo com levantamento realizado pela empresa de consultoria Safras & Mercado. Tendo como base uma safra estimada em 66,815 milhões de toneladas, o volume vendido já soma 50 milhões de toneladas. “Simplesmente não temos registros anteriores de um período como esse onde tanta soja foi negociada pelos produtores brasileiros”, diz Flávio França Júnior, da Safras & Mercado.

Para o analista, daqui para frente o fluxo de negócios nanova safra brasileira deve continuar ativo, mas pode perder um pouco de ritmo, uma vez que a grande maioria dos produtores já se encontra bem vendida. Nesta última semana, ao combinar a solidez nas posições da CBOT, o avanço da taxa de câmbio, os positivos prêmios de exportação e o firme interesse de compra em função do encurtamento da produção, os preços fecharam nos melhores níveis da temporada.

A soja foi a única commodity que não registrou queda no mês de abril. No oeste do Paraná, por exemplo, a soja em Cascavel atingiu no fechamento R$ 59,50 pela saca de 60 quilos, 3,5% superior aos R$ 57,50 da semana passada. No Rio Grande do Sul a base de Passo Fundo foi a R$ 61,00, 4,3% acima dos R$ 58,50 anteriores. E em Mato Grosso, base Rondonópolis, o preço foi a R$ 56, também 4,3% acima dos R$ 53,70 da última semana.

“É importante observar que o mercado talvez ainda não tenha alcançado seu limite, uma vez que estamos apenas no início do “weather market” dos EUA, e uma ameaça sobre a nova safra que começa a ser plantada poderia elevar os preços para picos históricos”, alerta Junior.

O embalo dos produtores na comercialização também aconteceu em relação à safra 2012/13, que começa a ser plantada em setembro. Embora os preços externos venham mostrando bases futuras com elevado deságio sobre as cotações atuais, os produtores brasileiros tem se motivado a entrar no mercado em função dos altos valores propostos.

Globo.com

Compartilhe: