Koff prega união do Grêmio e pede “braços longos para abraçar a todos”

Em sua entrevista coletiva após a vitória na eleição do Grêmio, o presidente Fábio Koff afirmou que o momento é de reconciliação no clube. Prometendo manter seu foco na gestão do futebol, Koff garantiu que buscará aproximar as lideranças do clube.

— Gostaria de ter braços muito longos para abraçar a todos os gremistas deste país. Hoje, não existe quem votou em mim e quem deixou de fazer isso. Hoje, existe o futuro do clube — pediu.

Ao valorizar a chance de disputar a Libertadores novamente, o presidente Koff prometeu que o foco do clube é a conquista da competição continental.

— Queremos que, no processo, prevaleça o bom senso. Não temos conhecimento dos vínculos dos atletas do Grêmio, o que não quer dizer que não estejamos mantendo alguns contatos. Pela experiência anterior, a Libertadores começa hoje. Nosso primeiro objetivo é audacioso e grande, mas entendo que nada seja impossível para o Grêmio. Já provamos duas vezes que não é impossível — afirmou.

Apesar de reconhecer a importância do futebol, Koff recusou-se a anunciar o nome do dirigente encarregado pelo setor. O dirigente não quer tirar o foco da equipe na busca pelo título da Copa Sul-Americana.

— O objetivo é chegar ao título da Sul-Americana. Não seria de bom critério indicar nomes em um momento em que estamos empenhados em ver o Grêmio campeão. É um tema que acho inoportuno anunciar um nome — concluiu.

Outro ponto destacado pelo novo responsável por gerir o Grêmio foi a questão do comando técnico da equipe. Questionado da possibilidade de Luiz Felipe Scolari, Koff garantiu que, se houver acerto, Luxemburgo continuará como técnico.

— No momento o Grêmio já tem um treinador. Nós não temos outra opção. O momento do Grêmio exige um certo distanciamento das medida que vamos tomar. Temos uma decisão de uma Copa Sul-Americana. Prefiro fazer um apelo ao torcedor: que dê força a essa equipe para assegurar a participação na próxima Libertadores — prometeu.

Confira outros trechos da primeira entrevista de Fábio Koff:

Clube formador:
“O Grêmio sempre foi um descobridor de talentos. O clube se descuidou e não projetou valores nos últimos anos”.

Nomes para o comando da Arena e do Futebol:
“Esperamos preencher os cargos da Arena com executivos de experiência. Adalberto Preis foi importante em algumas correções que fizemos no contrato. A decisão será levada ao comitê de gestão. O futebol, espero definir no mês que vem. Não vou envolver nomes para não afetar a tranquilidade que hoje existe. O objetivo é chegar ao título, não seria de bom critério indicar nomes em um momento em que estamos empenhados em ver o Grêmio campeão”.

Elenco da equipe e reforços
“Não vamos aguardar para resolver os problemas depois. Queremos que no processo prevaleça o bom senso. Não temos conhecimento dos vínculos dos atletas do Grêmio, o que não quer dizer que não estejamos mantendo alguns contatos. Pela experiência anterior, a Libertadores começa hoje. É um problema de mentalização com a torcida. Essa sinergia tem ser entre a equipe e o torcedor. Nosso primeiro objetivo é audacioso e grande, mas entendo que nada seja impossível para o Grêmio. Já provamos duas vezes que não é impossível”.

Investimentos no futebol:
“Grêmio contratou demais nos últimos anos. Precisamos de um processo de racionalização, onde vamos procurar ser um exemplo para o futebol brasileiro. Queremos alcançar equalização de receita e despesa. É possível que com o orçamento dê para fazer muito para chegar na Libertadores”.

Clicrbs

Compartilhe: