Intercambistas do programa Ciência sem Fronteiras relatam experiências na Espanha

CRUZ ALTA – Sonho de muitos acadêmicos, o acesso às universidades de outros países ganhou um importante reforço com a criação do Ciência sem Fronteiras, Criado em 2011, o programa do Governo Federal já oportunizou o intercâmbio para milhares de acadêmicos brasileiros. Duas representantes da Universidade de Cruz Alta estão entre as contempladas: Lígia Keller e Thais Debona Crespi, alunas dos cursos de Ciências Biológicas e Biomedicina da Unicruz, respectivamente, foram aprovadas para estudar Graduação Sanduíche na Faculdade de Biologia Universidade de Barcelona (UB), na Espanha.

As intercambistas estão na Europa desde o segundo semestre do ano passado e, em uma videoconferência preparada pela Unicruz TV, contaram um pouco de suas novas experiências. Ambas contaram com o apoio dos coordenadores de curso e da Assessoria de Assuntos Internacionais (AAI) para submeterem a inscrição no Ciência sem Fronteiras. “Aqui eles falam espanhol e catalão. No começo, a adaptação foi complicada porque tenho aulas nos dois idiomas. Amadurecemos muito como acadêmicas e como pessoas”, relata Thais, que retorna ao Brasil em março. Já Lígia permanece em Barcelona até agosto e prospectou o próximo semestre. “Vou continuar estudando aqui. Pretendo fazer mais disciplinas nos próximos meses e tentar exercer atividade em laboratório, o que é muito concorrido devido à crise econômica”. A íntegra da entrevista será exibida no telejornal Unicruz em Pauta da Unicruz TV, Canal 15 da Net Cruz Alta, no próximo final de semana.

Chamadas abertas para 15 nações
O Ciência sem Fronteiras segue com chamadas abertas para 15 nações: Austrália, Alemanha, Canadá, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Hungria, Itália, Japão, Portugal, Reino Unido, Suécia e Noruega. As inscrições podem ser feitas até o dia 14 de janeiro em www.cienciasemfronteiras.gov.br.

Os candidatos devem cumprir uma série de critérios conforme o país de destino. Os requisitos básicos são: ter estudado entre 20% e 90% da grade curricular, possuir fluência no segundo idioma e bom desempenho acadêmico.

A Graduação Sanduíche consiste na imersão em um período de 12 a 15 meses em instituições estrangeiras de Ensino Superior, e o Ciência sem Fronteiras oferece benefícios como passagens aéreas, mensalidade do curso, auxílio-instalação e seguro de saúde.

Mais informações
Assessoria de Assuntos Internacionais
[email protected]

(Assessoria de Imprensa – Unicruz)

Compartilhe: