Humilhação omitida

Uma unidade do Google escondeu notícias e textos considerados muito “negativos” ou “humilhantes” sobre a derrota da seleção brasileira por 7 a 1 contra a Alemanha.

Uma equipe de cientistas, tradutores e redatores adaptou conteúdos surgidos durante a Copa do Mundo que poderia ser “viralizado” (compartilhado rapidamente) nas redes sociais.

No serviço “Google Trends” em português, textos sobre “humilhação” ou “vergonha” (termos entre os mais pesquisados no Google brasileiro no fatídico 8 de julho do jogo) não foram listados.

Mas o tiro saiu pela culatra. As notícias sobre a omissão da “humilhação” terminaram ganhando as redes sociais.

Segundo a jornalista Aarti Shahani, da rádio pública americana NPR, que visitou a redação do Google em San Francisco, “a equipe decidiu não publicar textos sobre os termos mais pesquisados porque eram muito negativos”.

No mesmo dia, o serviço em alemão do Google registrava recorde nas pesquisas com perguntas sobre “qual foi o maior número de gols em uma partida de Copa do Mundo”. Ao contrário do que aconteceu no Brasil, o conteúdo sobre essas buscas foi produzido para o Google Trends.

Questionado sobre a manipulação, um dos redatores do Google, Sam Clohesy, disse à NPR que “não vale jogar sal nas feridas” e que “uma história negativa sobre o Brasil não ganharia muita atração nas mídias sociais”.

(Espaço Vital)

Compartilhe: