Grêmio descarta Gre-Nal com torcida única e cobra 10% no Beira-Rio

Ainda faltam duas rodadas para o Gre-Nal do dia 26 de agosto, mas o clássico já é assunto entre as direções de Grêmio e Inter. O motivo do debate entre os dirigentes é em relação ao número de ingressos que será destinado para a torcida do Grêmio no Estádio Beira-Rio.

Segundo a Polícia Militar as obras que ocorrem no Estádio Beira-Rio para a Copa de 2014 dificultam para uma melhor segurança para a torcida visitante, principalmente em relação a um jogo onde existe uma rivalidade muito forte como o Gre-Nal. A sugestão da Polícia Militar é a realização de um jogo sem a presença da torcida visitante, no caso a do Grêmio, ideia que foi rechaçada pelos dirigentes do time tricolor.

“O nosso acordo com a direção do Inter sempre foi de 2.500 ingressos no Beira-Rio e o mesmo número de ingressos no Olímpico. Temos uma boa relação com a direção do Inter e vamos escutar as ponderações do Inter em relação as obras do Beira-Rio e o número de ingressos para o nosso torcedor. O estatuto manda que seja destinado 10% da capacidade do estádio para a torcida visitante, o que eu não posso e não vou fazer é prejudicar o gremista que quer ir ver o time em um Gre-Nal”, destacou o presidente gremista Paulo Odone.

Ainda esta semana será realizada uma nova reunião entre os dirigentes de Grêmio e Inter, com a presença dos órgãos de segurança pública do Rio Grande do Sul para definir o planejamento para o Gre-Nal do dia 26 de agosto, no Estádio Beira-Rio. A ideia é de que o Grêmio consiga a liberação de mil e quinhentos ingresso, o que seria 10% da capacidade atual do Beira-Rio.

Terra

Compartilhe: