Grande público acompanha a Abertura Nacional da Safra da Canola

NÃO ME TOQUE – Nem o tempo chuvoso espantou as mais de 600 pessoas que foram prestigiar a Abertura da Safra da Canola 2012 e o IVº Dia de Campo da Cultura da Canola, as margens da BR 285, no trevo de acesso a Colorado (RS). O evento nacional visa divulgar e difundir as novas tecnologias a respeito do cultivo da cultura, inserindo a canola como alternativa de emprego e renda no campo no período do inverno.

O grande público formado por estudantes, professores, técnicos agrícolas, agrônomos, autoridades entre outros pode acompanhar em quatro estações técnicas orientações sobre novidades tecnológicas, técnicas de cultivo, manejo, adubação, gestão da propriedade e comercialização, bem como características de fisiologia, desenvolvimento e de assistência técnica.

Na solenidade o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Canola (ABRASCANOLA) e diretor presidente da BSBIOS, Erasmo Carlos Battistella, destacou que neste ano a canola ganha uma importância ainda maior visto que tivemos uma grande seca o que prejudicou a produtividade da soja. “Em 2012 obtivemos a prova que os produtores do Rio Grande do Sul não podem desperdiçar as culturas de inverno, principalmente, a canola que é uma grande oportunidade de diversificação do sistema produtivo, ocupando a terra, a mão-de-obra, os recursos hídricos, o maquinário, tudo isso, com mercado garantido,” frisou o presidente.

O vice-presidente da Cotrijal Jairo Kohlrausch reiterou a parceria com a BSBIOS para o cultivo de Canola. “Com o esforço das entidades, desenvolvimento em pesquisa e tecnologias, acompanhamento técnico acreditamos que esta é uma cultura que ano a ano vai crescer ainda mais em área e, principalmente, trazendo renda para os produtores,” falou Kohlrausch.

A mesma ideia foi corroborada pelo chefe-geral da Embrapa-Trigo Sérgio Dotto, que destacou que as culturas de inverno trazem sustentabilidade aos produtores. O produtor de Colorado (RS) Ricardo Tomazoni está plantando a cultura há três anos, no sistema de rotação, afirma que a canola só vem a somar na sua propriedade. “Ela não rouba espaço das demais culturas, além de trazer uma rentabilidade garantida pude perceber que as culturas subsequentes agregaram em produtividade,” falou Tomazoni.

Dotto ainda destacou que sendo preparado um projeto em parceria com diversas entidades e empresas para o desenvolvimento da cultura. “Queremos que nos próximos anos seja aumentada a área e a produtividade da cultura, por isso, a Embrapa está disponibilizando dez pesquisadores em nove áreas de pesquisa, que se estendem desde o centro-sul até o sul do país”, disse chefe-geral. O projeto deve ser apresentado nos próximos dias para aos Ministérios da Agricultura e Desenvolvimento Agrário e a Secretaria Estadual da Agricultura.

O coordenador da Câmara Setorial do Trigo, da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Agronegócio (SEAPA) Áureo Mesquita de Almeida relatou que há muita área ociosa no inverno, e que a Secretaria reconhece que precisa investir pesado para incrementar culturas para esse período, e uma dessas estratégias será ampliar a área de canola. “A Câmara Setorial que hoje é do trigo, em breve também será acrescida da denominação culturas de inverno, o que vai possibilitar abrir espaço para o diálogo com a canola,” pontuou Almeida.

O Coordenador Geral de Biocombustíveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) André Grossi Machado também destacou a preocupação e o esforço do governo federal em qualificar o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) aumentando a oferta de oleaginosas, e a canola é uma das culturas no Rio Grande do Sul que se destaca. “Estamos comprometidos em levar os pleitos e necessidades em prol do desenvolvimento da cultura,” falou Machado.

Para o Coordenador Geral de Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) João da Silva Abreu Neto é imensa a possibilidade que a canola tem de crescer. “A demanda por óleo de canola não vai cessar, seja por biodiesel, bioquerosene, ou outras finalidades, o agricultor pode ficar tranquilo. O MAPA irá continuar buscando a melhor forma de equalizar os gargalos da produção”, enfatizou Neto.

O evento foi finalizado com um lanche servido aos participantes, que também puderam assistir a apresentação do cantor nativista Luiz Carlos Borges.

Os eventos são uma promoção da ABRASCANOLA, BSBIOS, Cotrijal, Embrapa-Trigo, Emater/RS, PRODUFORT, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Colorado e Sindicato Rural de Colorado, com o apoio da Universidade de Passo Fundo (UPF) e Grupo DRS. E, conta com o patrocínio da BSBIOS, Lavoro Concessionário John Deere, Banrisul, Banco do Brasil, Sicredi, Syngenta, Mosaic e Cotrijal.

(Cotrijal)

Compartilhe: