Governo brasileiro que criar e-mail antiespionagem

O Governo quer lançar, por meio dos Correios, um serviço de email nacional e criptografado. Nesta segunda-feira, 2, o secretário executivo do Ministério das Comunicações, Genildo Lins, colocou a proposta como uma medida às recentes acusações de espionagem norte-americana.

“Os Correios já trabalham há bastante tempo com certificação digital e criptografia. Daí para um serviço de e-mail de massa, com essas características, é fácil”, avaliou Lins. O sistema lucraria com modelos de publicidade semelhantes ao do Gmail.

Além da criptografia, por medidas de segurança, todos os dados deverão ser armazenados em servidores brasileiros.

Como há uma série de custos a serem avaliados, principalmente com datacenters, o governo ainda não estabeleceu uma data para lançar o serviço. No entanto, o jornal Folha de S. Paulo sugere que a novidade deverá chegar ainda no segundo semestre de 2014.

“No ano passado, [os EUA] fizeram 311 solicitações [às empresas]. É preciso estimular um serviço de e-mail mais seguro.”, disse Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, ao jornal.

Bernardo ainda defende o envolvimento dos Correios no projeto. “Os Correios têm uma bandeira de credibilidade grande. Entregam carta no Brasil há 350 anos e ninguém acha que eles ficam bisbilhotando”, disse.

O ministro defende ainda uma alteração na legislação para que, espionar emails seja considerando um ato tão criminoso quanto abrir correspondências de terceiros.

Repúdio à espionagem
Após uma reportagem do Fantástico, exibida nesse domingo, 1, na TV Globo, que reportou que o Governo brasileiro e até a presidente Dilma foram espionados pelos EUA, os governantes convocaram uma reunião emergencial nesta segunda-feira, 2. No início da tarde, informaram que irão pedir explicações formais do governo norte-americano.

(Olhar Digital)

Compartilhe: