Gêmeas siamesas são separadas com sucesso em Passo Fundo

O caso é raro, assim como as chances do procedimento cirúrgico ter sucesso completo. A gestação de gêmeas siamesas de Adriana Ribeiro, 31 anos, mobilizou pelo menos 20 profissionais do Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo.

As duas meninas, que nasceram unidas pelo abdômen e compartilhavam órgãos como intestino e fígado, passaram por cirurgia de separação na última semana e passam bem.

— Elas são umas guerreiras. Agora só estamos esperando que elas se recuperem da cirurgia para irem para casa brincar com as duas irmãs, de nove e dois anos — comenta a mãe.

Adriana descobriu que as filhas eram unidas no quinto mês de gravidez e passou ser acompanhada pelos médicos que cuidariam do nascimento e da cirurgia de separação. Sem muito conhecimento sobre o caso, a mãe teve de recorrer a pesquisas na internet para ficar mais tranquila durante a gravidez. As crianças nasceram no dia 31 de janeiro deste ano e passaram pelo procedimento de separação na última terça-feira.

Segundo o cirurgião Gustavo Pilleggi Castro, algumas estimativas médicas afirmam há um caso de gêmeos unidos a cada 50 mil nascimentos. Cada caso exige uma cirurgia complexa de separação e, segundo o especialista, na maioria das vezes uma das crianças acaba morrendo. A cirurgia das gêmeas durou cerca de oito horas.

— Neste tipo de cirurgia há um risco muito grande de uma criança morrer por hemorragia. Nossa missão era salvar as duas. As meninas estão internadas no hospital e devem ter alta em breve, mas precisam passar por pelo menos outras três cirurgias e ter cuidados especiais durante a recuperação — observa.

Clicrbs

Compartilhe: