Falta de acesso à mamografia é um dos responsáveis pelo diagnóstico tardio do câncer de mama

Postado em 18 fevereiro 2020 16:03 por jeacontece
15.292.411/0001-75

Pesquisa revela que faltam mamógrafos para realização de diagnóstico precoce no Brasil

O câncer de mama é o mais incidente e a primeira causa de morte por câncer entre as mulheres no Brasil. As mortes e a incidência crescem a cada ano. O diagnóstico precoce por mamografia ainda é uma das principais formas de luta contra esse câncer. No entanto, só um em cada cinco municípios do Brasil tem mamógrafo. Isso é o que aponta o Painel Abramed – O DNA do Diagnóstico.

São quase 60 mil novos casos por ano de câncer de mama e cerca de 16 mil mortes no país. A falta de mamógrafos para diagnóstico precoce contribui para este cenário. O levantamento da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) revela que a distribuição de equipamentos está concentrada na região Sudeste, com 47,44% dos aparelhos do país. Em seguida, o Nordeste com 22,2%, o Sul conta com 15,7%, o Centro-Oeste com 8,5% e o Norte com 6%. A maioria dos mamógrafos está na rede privada.

O oncologista do Centro de Tratamento do Câncer (CTCAN), Dr. Alvaro Machado, membro do Conselho Consultivo da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), comenta que essa pesquisa é o retrato da saúde brasileira. “O sistema privado tem ociosidade de equipamentos, e o sistema público tem falta, não apenas de mamógrafos. Importante sabermos onde não tem para fomentar soluções”, ressalta Machado.

Na opinião de Machado, o problema não é só a falta de mamógrafos. “Mamógrafo sozinho não resolve, precisamos bons técnicos, manutenção e bons radiologistas”, salienta o oncologista.

A tragédia de 50% dos diagnósticos serem de doença avançada é multifatorial. “Faltam mamógrafos, existe dificuldade de acesso ao exame e de informação à população menos favorecida da importância do exame. Falta um canal rápido de comunicação do resultado do exame para o médico do paciente ou posto de saúde. Precisamos treinamento, investimento, coordenação, execução e controle”, observa Machado.

A mamografia é reconhecida com um exame seguro e de enorme benefício na detecção precoce do câncer de mama. “Os grandes estudos e metanálises estimam redução de 20 a 25% nas mortes por câncer de mama nas populações rastreadas, rotineiramente, com mamografia. Isso poderia significar cerca de quatro mil vidas poupadas a cada ano. Diagnóstico precoce é sinônimo de chances de cura, tratamentos mais econômicos e menos mutilantes”, afirma o oncologista.

Assessoria de Imprensa CTCAN

Postado em 18 fevereiro 2020 16:03 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop