Expointer: Mais show e menos negócios

A edição 2014 da mais tradicional feira agropecuária do Rio Grande do Sul levantou uma polêmica: é melhor o modelo adotado pela Expointer, privilegiando muito mais o público visitante urbano que o produtor rural? A proposta destoa de outros grandes eventos brasileiros, como a Agrishow (Ribeirão Preto/SP) e a Show Rural Coopavel (Cascavel/PR), quando a maior atração é a realização de negócios.

Os questionamentos vieram com força após a apresentação dos resultados da 37ª edição da Feira: por um lado, os organizadores comemoram um público total de 502.074 pessoas. O número representou um aumento de mais de 30% quando comparado aos 384.527 visitantes registrados em 2013.

Por outro lado, os negócios realizados na Expointer (R$ 2,729 bilhões) caíram nada menos que 17% sobre a edição anterior. Foram R$ 2,713 bilhões em propostas encaminhadas para compra de máquinas, contra R$ 3,27 bilhões na última edição. Houve também baixa na venda de animais (de R$ 16,36 milhões para R$ 12,41 milhões).

“O ano passado foi um ponto fora da curva, espetacular, não tinha como continuar. Os números alcançados foram acima das nossas expectativas. É claro que no início da nossa feira, a gente nunca diz para o produtor que ele vai vender menos, mas nós sabíamos das dificuldades”, avaliou o secretário gaúcho de Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Claudio Fioreze.

O presidente do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, preferiu valorizar o valor institucional da feira, mas creditou a queda nos negócios à instabilidade política e econômica no País. “Os números estão de acordo com a realidade do mercado. Não viemos para a feira na ânsia de bater recordes, mas de fecharmos negócios com preços justos e adequados ao momento”.

O subsecretário do Parque de Exposições Assis Brasil, Adeli Sell, foi questionado sobre a projeção R$ 4 bilhões antes do início da feira. “É estratégia jogar os números altos. É para atrair mais gente e negócios. Mas comparado com 2012 houve um crescimento de 34% em relação às vendas”, justificou.

(Agrolink)

Compartilhe: