Eventos de Plantas Bioativas e Homeopatia iniciam com mais de dois mil inscritos

Postado em 23 setembro 2021 09:02 por jeacontece
15.292.411/0001-75

Com mais de dois mil inscritos, de 22 estados brasileiros, iniciaram nesta quarta-feira (22/09) e seguem até sexta (24/09), a 15ª Reunião Técnica Estadual sobre Plantas Bioativas (RTEPB), o 6º Seminário Regional de Plantas Bioativas e Homeopatia e a 3ª Jornada Sul Brasileira de Pesquisa em Plantas Bioativas e Homeopatia. Os eventos, que pelo segundo ano estão acontecendo de forma virtual, estão sendo transmitidos pelos canais do YouTube e Facebook da Emater/RS-Ascar. A programação completa pode ser conferida no site www.fasurgs.edu.br/plantasbioativashomeopatia

Para este ano, o tema central aborda “As plantas bioativas e a homeopatia na saúde integral”. Na abertura oficial, o presidente da Emater/RS, Edmilson Pelizari, destacou a importância do evento por sua tradição e soma de esforços de muitas pessoas e entidades. “São mais de duas mil pessoas inscritas que estarão participando do evento, que vai discutir e tratar desse importante tema da área da saúde humana, animal e vegetal. Isso oportuniza troca de conhecimento, saberes, pesquisa e experiências, e o que leva a crer no sucesso desse evento. Nós, enquanto Instituição, estaremos sempre abertos ao diálogo e prontos para firmar parcerias que venham fortalecer políticas públicas nas mais diferentes áreas, mas, principalmente, quando se trata do bem-estar, da saúde do nosso semelhante e da qualidade de vida das famílias”, afirmou Pelizari.

Na programação dos três dias, constam palestras, relatos de experiências, apresentação de trabalhos científicos, oficinas e momentos culturais. O diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri, destacou em sua fala que a extensão rural está calcada no tripé social, ambiental e econômico. “Ressalto a importância de podermos realizar esse evento. Nós definimos essa como uma das áreas que fazem parte da espinha dorsal da extensão rural, ação que traz a ciência e a pesquisa para o nosso dia a dia. E o sucesso dos trabalhos são as parcerias, não é um trabalho isolado. A participação das entidades é de extrema importância. Esse é um momento ímpar, que reúne a pesquisa, a ciência e a extensão rural”, disse Rugeri.

Também fizeram parte da abertura oficial do evento, o vice-reitor de pesquisa, pós-graduação, extensão e assuntos comunitários da Universidade de Passo Fundo, Rogério da Silva; o diretor da Universidade Federal Fronteira Sul, campus Erechim, Luis Fernando Santos Corrêa da Silva; a presidente da Cresol Planalto Serra, de Sananduva/RS, Rosane Pansera Dalsoglio; o presidente da Associação Brasileira de Homeopatia Popular (ABPH), Alexandre Mendonça; a enfermeira da Secretaria Municipal da Saúde de Passo Fundo, Carla Thomasetto da Silva; e a secretária Municipal de Meio Ambiente de Passo Fundo, Gabriela Engers, no ato representando o prefeito Pedro Almeida.

Na parte da manhã, o engenheiro agrônomo, doutor em Botânica pela Unesp – Botucatu em Produção Vegetal pela Unesp, Lin Chao Ming Ming, explicou que a saúde integral das pessoas usando plantas está ligada às características socioculturais locais e, por isso, trouxe exemplos de casos vivenciados por ele. Ming destacou ainda que as plantas têm segredos que vão além dos benefícios farmacológicos, que incluem o bem-estar que elas proporcionam “até quando ficamos contemplando elas”, observou. “Eu falo para vocês das plantas medicinais, mas não nos aspectos químico e farmacológico, mas sim as virtudes que elas têm e oferecem para as pessoas sob o ponto de vista do bem-estar geral, integral”, enfatizou.

Ainda na parte da manhã, o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Gervásio Paulus, fez uma homenagem ao evento, por meio de um resgate histórico das 15 edições da Reunião Técnica Estadual de Plantas Bioativas.

O evento seguiu na parte da tarde com o tema gerador “Políticas públicas e legislação de plantas medicinais e homeopatia”, sob a mediação da professora da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), campus de Passo Fundo, Vanderleia Pulga. O primeiro painel fez referência às políticas públicas existentes e a legislação que envolve o uso e recomendação de plantas medicinais e fitoterápicos no Brasil. O tema foi explanado pelo tecnologista farmacêutico, doutor em biotecnologia e técnico do Núcleo de Fitoterápicos do Ministério da Saúde, Lucas Junqueira de Freitas Morel.

Ao contextualizar o assunto, Morel destacou que “as plantas medicinais não são apenas um insumo à saúde, mas um patrimônio cultural. Um conhecimento transmitido de geração em geração”. O técnico do Ministério da Saúde falou sobre as exigências que envolvem a criação de políticas públicas, como o cenário e os atores envolvidos. “Toda vez que você tem um alinhamento de cenário com os atores é possível a formação de uma política pública. Nesse contexto, um dos grandes atores é a Organização Mundial de Saúde”, frisou. Morel traçou uma linha do tempo durante sua apresentação e destacou momentos importantes que contribuíram para o cenário atual.

Na sequência, o médico veterinário da Epagri/SC, Marcelo Pedroso, apresentou a experiência da homeopatia como ferramenta de política pública para produção de alimentos e qualidade de vida. Já como experiência local, o prefeito de Novo Cabrais, Leodegar Rodrigues, mostrou ao público a experiência de implantação da Política Nacional das Práticas Integrativas e Complementares no município. Já a Secretaria Municipal da Saúde de Passo Fundo levou ao evento a oficina de auriculoterapia na saúde humana, por meio das enfermeiras Gabriela Signor Cenci e Carla Thomasetto da Silva, da nutricionista Marilaine Nunes, e das fisioterapeutas Mauriceia Morgado de Oliveira e Raquel de Quadros.

III Jornada Sul Brasileira de Pesquisa em Plantas Medicinais e Homeopatia

Neste primeiro dia, dois trabalhos inscritos e selecionados pela comissão científica foram apresentados. O primeiro foi o grupo FitoCidreira, iniciativa promovida pela Emater/RS-Ascar e Secretaria Municipal da Saúde de Cidreira, existente desde 2016. Com a pandemia e as restrições impostas pelo controle sanitário, o Grupo FitoCidreira inovou em suas ações a fim de manter as atividades do grupo. A psicóloga, Rochele Tomasel, e a extensionista rural da Eamter/RS-Ascar, Fernanda Gilli, contaram que foram muitos os desafios enfrentados devido às restrições. “O Grupo FitoCidreira manteve o espaço do Recanto FitoCidreira com o cultivo de plantas medicinais (em formato de relógio do corpo humano), manteve as capacitações semanais sobre plantas bioativas por meio das redes e com a criação de grupo de mensagens em aplicativo, para que fosse garantida a participação e interação grupal”, explicou Rochele.

O outro trabalho selecionado foi apresentado pela enfermeira e educadora popular em saúde, Michele Neves Meneses, com o tema “Educação popular em saúde: ressignificando a potência dos saberes tradicionais no cuidado em saúde”, fruto de uma pesquisa coletiva com profissionais do SUS, que são as agentes comunitárias de saúde em Rio Grande.

Promotores

A promoção é da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural; Prefeitura de Passo Fundo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde; Prefeitura de Aratiba; Associação Brasileira de Homeopatia Popular (ABHP); Cáritas Arquidiocesana; Cooperativa Coasa Água Santa; 6ª Coordenadoria Regional da Saúde de Passo Fundo; Fasurgs; Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio); Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – campus Sertão (IFRS); Nathufarma Manipulação e Medicamentos; Pastoral da Saúde de Passo Fundo; Sindicato dos Trabalhadores Rurais; Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), campus Passo Fundo e campus Erechim; e Universidade de Passo Fundo.

Jornalista Vanessa Almeida de Moraes – Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Passo Fundo

Postado em 23 setembro 2021 09:02 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop