Estudo contra câncer pode levar a anticoncepcional masculino

Uma pesquisa americana com ratos de laboratório aumentou as esperanças de se desenvolver uma pílula anticoncepcional para homens. Um composto inicialmente concebido para deter o câncer demonstrou ser capaz de interromper a produção de esperma nos ratos, segundo os cientistas.

Uma vez suspensa a administração do medicamento, os roedores recuperaram a fertilidade, demonstrando-se capazes de ter descendentes saudáveis. “Se o medicamento deixar de ser dado, há uma reversibilidade completa”, disse Martin Matzuk, do Baylor College of Medicine de Houston, Texas.

O composto é conhecido pelo nome laboratorial JQ1, em homenagem ao químico que o concebeu, Jun Qi, com a ideia inicial de bloquear um gene denominado BRD4, causador de câncer. No entanto, o mesmo composto é capaz de inibir proteínas chamadas bromodomínios. Uma delas, a BRDT, desempenha um papel importante na produção de esperma.

Ao inibir esta proteína, o composto JQ1 diminui substancialmente a quantidade e a qualidade do esperma, tornando o rato estéril. No entanto, é pouco provável que o JQ1 seja a descoberta definitiva para este tipo de contracepção masculina, já que segundo Matzuk, o composto “afeta outros membros da família dos bromodomínios”.

O especialista acrescenta que “no entanto, os dados provam o princípio de que a BRDT é um excelente objetivo frente à contracepção masculina e nos dá uma informação valiosa para o desenvolvimento de um futuro produto”. O estudo foi publicado na revista americana Cell.

Terra

Compartilhe: