Estiagem provoca lideranças a discutir soluções para a região do Alto Jacuí

Postado em 11 janeiro 2022 16:00 por jeacontece
15.292.411/0001-75

Um encontro de líderes sindicais, cooperativistas e políticos aconteceu na tarde de segunda-feira (10) na sala de reuniões da Asfuca em Ibirubá. A pauta principal foi a busca de soluções para amenizar a crise causada pela estiagem no Rio Grande do Sul, que atingiu de forma severa a região do Alto Jacuí. Uma das preocupações é a bacia leiteira, diretamente afetada pela seca. O temor é que mais produtores abandonem a atividade, frente aos custos cada dia maiores para produzir e o baixo preço pago pelos produtos.

Atualmente na região do Alto Jacuí, 25 mil vacas estão sendo ordenhadas nos municípios de atuação da Cotribá, produzindo em média 180 milhões de litros de leite por ano.

O gerente de varejo da cooperativa, Marcelo De Bortoli, trouxe dados que comprovam a dificuldade de rentabilizar as propriedades rurais que dependem do leite para sobreviver.

Abel Grave, prefeito de Ibirubá, salientou a importância de unir forças entre todos os 30 municípios da região para buscar auxílio nas esferas estadual e federal e subsidiar a produção durante a crise.

Marcia Rossatto Fredi, presidente do Comaja e prefeita de Fortaleza dos Valos, destacou a injeção mensal que o dinheiro do leite promove todo dia 15 no comércio dos municípios, e falou em construir uma solução conjunta para a crise.

O vice-presidente da Cotribá, Enio Cesar Moura do Nascimento, afirmou que o desafio é manter o alimento para as vacas, que são o maior patrimônio dos produtores de leite. Para isso é imprescindível que o governo ofereça linhas de crédito a custo baixo, dando fôlego à atividade durante e depois da crise.

Redação Integrada Rádio Cidade e Jornal O Alto Jacuí
Fotos: Andrei Grave

Postado em 11 janeiro 2022 16:00 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


TAPERA TEMPO

Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop