Ernestina sediará mostra regional de trabalhos do Programa A União Faz a Vida

Envolvidos há meses na elaboração de projetos dentro do Programa A União Faz a Vida, os estudantes da rede municipal de Ernestina poderão, na próxima semana, apresentar suas iniciativas à comunidade. Durante a quinta-feira (30), o município sediará uma mostra regional de trabalhos desenvolvidos no programa idealizado pelo Sicredi.

O 1º Encontro Regional Planalto Médio do Programa União Faz a Vida – Ernestina ocorrerá no Salão da Comunidade Evangélica do município, a partir das 09h. Pela manhã, após a cerimônia de abertura, professores da rede municipal de ensino de Ernestina, Coxilha, Mato Castelhano e Pontão participarão de atividades de formação pedagógica, e estudantes ernestinenses das escolas Educarte, Osvaldo Cruz e João Alfredo Sachser exibirão os trabalhos elaborados durante o ano. Após, será servido um almoço de confraternização. À tarde, a partir das 13h, o evento será aberto à comunidade, oportunidade em que estudantes destes três municípios – Coxilha, Mato Castelhano e Pontão – conhecerão os projetos exibidos na mostra e apresentarão atividades culturais desenvolvidas em suas escolas. A Secretaria Municipal de Educação de Ernestina estima que cerca de 700 pessoas participem do evento durante todo o dia até o encerramento, às 20h.

“O mais interessante são os princípios que ele propaga nos projetos desenvolvidos”, avalia a coordenadora local do programa, Rubia Annes, professora de Ciências Sociais das escolas Osvaldo Cruz e Educarte. “O que mais chama a atenção é a cooperação representada através da abelha na colmeia (símbolos do programa), cada um fazendo a sua parte, colaborando com o outro para chegar a um objetivo maior”, analisa. O programa é multidisciplinar, envolvendo diversos campos do conhecimento, como ciências sociais, meio ambiente e história.

A secretária de Educação de Ernestina, Ingrid Worst, vê no A União Faz a Vida, com o qual o município tem parceria desde 1998, a possibilidade de complementar o ensino feito em sala de aula através dessa prática de educação cooperativa. “Durante o ano, os estudantes se envolvem em projetos que vão além da sala de aula e isso é muito importante para a formação deles. Através dessa mostra, os trabalhos serão valorizados e eles perceberão que o envolvimento em atividades práticas como estas compensa”. A coordenadora pedagógica, da secretaria, Diones Magarinos, observa na integração entre as crianças outro legado positivo do programa. “Há uma socialização, uma mobilização em torno do aprendizado, do resgate de informações para a aplicabilidade dos objetivos propostos. Isto motiva os alunos e enriquece a produção de conhecimento, o que complementa a teoria ensinada em sala de aula. As crianças são sujeitos ativos nos projetos elaborados, atores sociais no desenvolvimento de iniciativas que, dentro dos princípios estabelecidos pelo programa, melhoram a vida em comunidade”, explica.

Nas escolas, as turmas envolvidas fazem uma expedição investigativa. Os estudantes buscam, dentro do educandário e da comunidade, o objeto a ser trabalhado e as devidas justificativas, e em cima disso elaboram questionamentos cujas respostas devem ser buscadas durante a elaboração do projeto. Desenvolvem, então, projetos dentro dos princípios de cooperação e cidadania definidos pelo Programa A União Faz a Vida, atividades acompanhadas pelos professores, já orientados em formações durante o ano.

Em maio, os estudantes apresentaram os projetos a uma comissão avaliadora, formada pela assessora pedagógica do programa, Lisiane Borges da Silva, e pelo assessor de Programas Sociais do Sicredi, Gilso Manfroi, para discussão e adequação necessárias à continuidade da execução. Após, o Sicredi repassa parte dos recursos para a aplicação dos projetos, valores complementados pela Secretaria Municipal da Educação. “O importante é que o estudante seja o principal agente do projeto, pois se ele se envolve diretamente, assimila os conceitos propostos e os incorpora em seu dia a dia, desenvolvendo um senso de organização social e econômica sustentáveis, o que só ocorre através do estudo e da aplicação prática”, explica Lisiane.

Convite

A Secretaria Municipal da Educação convida toda a comunidade ernestinense a conhecer os projetos desenvolvidos pelos estudantes do município. A mostra de trabalhos estará aberta a visitação das 13h às 20h de quinta-feira (30), no Salão da Comunidade Evangélica de Ernestina.

(Fabricio Carvalho – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ernestina)

Compartilhe: