ERNESTINA – Grupo de Capoeira realiza apresentação no Lar Emiliano Lopes

Uma atividade diferenciada envolveu os integrantes do Grupo Berimbauê Capoeira Ernestina, do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), na última sexta-feira (11). O grupo participou de uma confraternização com a equipe e os beneficiários da instituição de acolhimento de crianças e adolescentes Lar Emiliano Lopes, de Passo Fundo.

O encontro foi marcado por apresentações interativas do grupo de capoeira, cerimônia de troca de cordas e confraternização com lanches, organizada pela Secretaria de Saúde e Assistência Social ernestinense. Participaram os integrantes do grupo, pais dos alunos e funcionários da secretaria.

A coordenadora do Cras, Odete Pozzan Schmitz, relata que a apresentação também foi concebida como uma visita a uma criança ernestinense acolhida pelo Lar. “Além de promover uma amostragem do projeto e integrar as crianças, podemos visitar um ernestinense e levar os antigos colegas até ela. A exibição das atividades desenvolvidas pelo Grupo Berimbauê Capoeira Ernestina foi interativa, pois a intenção também é de chamar a atenção para o esporte, projeto desenvolvido pelo Cras há cinco anos”. Mais informações sobre o ingresso no grupo podem ser obtidas pelo fone (54) 3378-1044 ou diretamente na sede do Cras, na Rua Cristiano Becker.

Grupo Berimbauê Capoeira Ernestina

O projeto social desenvolvido pelo Cras de Ernestina existe desde 2009 e atende, atualmente, 38 integrantes com idades entre três – crianças participantes do Primeira Infância Melhor (PIM) – e 16 anos. As aulas são semanais, com encontros às sextas-feiras, uma turma pela manhã e outra à tarde, no Salão da Comunidade Católica do município. Desde o início, as atividades são promovidas pelo professor de capoeira Francis de Camargo. Segundo ele, a apresentação no Lar Emiliano Lopes foi uma exibição do projeto. “O objetivo é incentivar as demais crianças a praticarem o esporte, além de divulgar o trabalho que é desenvolvido em Ernestina”, afirma. “Estamos, inclusive, revelando novos talentos através do grupo, capoeiristas que pretendem continuar praticando o esporte como instrutores”, diz o professor, ao relatar os resultados obtidos pelo projeto nos últimos anos.

(Fabricio Carvalho – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ernestina)

Compartilhe: