Ernestina é o 104º município gaúcho mais desenvolvido, segundo IFDM

Foi divulgado recentemente o IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal –, um estudo do Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5,5 mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego e renda, Educação e Saúde.

No ranking, Ernestina possui índice de 0,7578, o que o coloca na 104ª posição entre os municípios gaúchos e na 771ª entre todos os mais de 5,5 mil brasileiros. O índice divulgado em 2014, que atesta ao município esse patamar de desenvolvimento, leva em conta dados de 2011. Com recorte municipal e abrangência nacional, o IFDM varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada cidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1) desenvolvimento municipal.

Em um cenário nacional de desaceleração da geração de empregos e menor crescimento da renda, a 6ª edição do IFDM revelou que a Educação e a Saúde foram os grandes destaques para que o Brasil mantivesse em 2011 o nível de desenvolvimento moderado observado na última década.

Conforme os gráficos apresentados, o que impediu que Ernestina subisse no ranking foi a baixa geração de emprego e renda. As ações da administração municipal desde 2013 devem alavancar esse índice, conforme o prefeito de Ernestina, Odir João Boehm. “Em geração de emprego e renda, incentivamos a vinda de uma multinacional do ramo de peças agrícolas, empresa que já está funcionando e gerou dezenas de empregos. Além disso, a implementação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas (MPEs), ocorrida em 2014, beneficia os pequenos empresários ernestinenses, o que também incentiva a profissionalização das empresas e a abertura de novas vagas de trabalho. Tudo isso, aliado às demais políticas de incentivo ao desenvolvimento, como o microcrédito, irá impulsionar o índice do município”, projeta.

“Além das políticas públicas direcionadas a geração de emprego e renda, Saúde e Educação são outras áreas que recebem nossa intenção”, afirma o prefeito, ao observar as outras duas áreas apontadas pelo IFDM. “Prova disso é que está em construção uma escola para a rede municipal de ensino, com área de construção superior a 800 m². O prédio receberá estudantes do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. São R$ 922 mil que conquistamos junto FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação”, detalha Boehm. “Para a Saúde, será construída uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS), pois a atual possui danos estruturais e limitação de espaço. Buscamos no governo do Estado R$ 1,064 milhão para a construção dessa UBS modelo, que poderá atender, além da população ernestinense, turistas que passam pelo município em épocas de veraneio e vítimas de acidentes ocorridos na RST 153”, relata. Segundo ele, a intenção da administração municipal é aumentar os serviços oferecidos aos munícipes em espaços mais bem adequados, a fim de melhorar a qualidade de vida da população ernestinense.

(Fabricio Carvalho – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ernestina)

Compartilhe: