ERNESTINA – Depósito não possui larvas do mosquito Aedes aegypti

Ao mesmo tempo em que as equipes removem os pneus do depósito irregular na propriedade particular no interior de Ernestina, fiscais sanitários e supervisores da 6ª CRS, a 6ª Coordenadoria Regional de Saúde, recolhem amostras de larvas para análise laboratorial. Somente na quarta-feira (17), foram recolhidos 81 tubitos com amostras de larvas de mosquitos e enviados para o laboratório de entomologia da 6ª CRS.

De todos os tubitos com amostras recolhidos, em 14 deles foram encontradas larvas do mosquito Aedes albopictus, transmissor da febre chikungunya. Larvas deste mesmo mosquito já haviam sido encontradas na vistoria anterior, ocorrida no sábado (13) durante o Dia de Mobilização Nacional contra o Mosquito Aedes Aegypti. Com o resultado das análises, o município de Ernestina segue sendo um dos poucos da região ainda não positivados para o mosquito transmissor da dengue.

Trabalhos seguiram nesta sexta-feira
Após novas conversas com a Reciclanip e o Governo do Estado, o município de Ernestina conseguiu apoio também para o carregamento dos pneus. Agora, a expectativa é de que a retirada dos pneus seja concluída em cerca de 20 dias. A Reciclanip, associação não governamental parceira do município na remoção e descarte correto dos pneus, destinou equipes e agora também auxilia no carregamento do material. Nesta sexta-feira (19), duas equipes trabalharam para carregar duas carretas, com o auxílio de duas pás carregadeiras. A retirada é demorada, pois é feita manualmente.

A remoção dos pneus ocorrerá somente em dias úteis e será retomada na próxima segunda-feira (22). Como explica o gerente-geral da Reciclanip, Cesar Faccio, “a associação foi criada pelos fabricantes de pneus para fazer a logística reversa dos pneus que eles vendem pelo Brasil. Atualmente, a associação possui mais de 1008 pontos de coletas espalhados pelo país, 24 empresas contratadas para a destinação dos pneus e outras 17 empresas fazem a trituração”, ressalta, ao acrescentar que a empresa já possui 16 anos e recolhe atualmente cerca de 1.200 toneladas de pneus por dia pelo Brasil. Os pneus removidos do depósito em Ernestina serão triturados e utilizados na fabricação de cimento. Conforme estimativa atualizada, deve haver no depósito clandestino mais de 100 mil pneus de veículos de passeio.

Apoio do governo
Na quinta-feira (18), o prefeito de Ernestina, Odir João Boehm, reuniu-se com o governador do Estado, José Ivo Sartori, o chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi – audiência marcada com o auxílio do deputado estadual Eduardo Loureiro (PDT) –, a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado, Ana Pellini, e o assessor Márcio Bosa de Oliveira. Para o prefeito, as conversas e contribuições do Governo do Estado foram fundamentais para o avanço no plano de trabalho. “A reunião foi muito válida, o governador determinou que a FEPAM liberasse a retirada imediata de todos os pneus, inclusive aqueles que ainda possuem água e estão enlameados, e isso vai facilitar a ação das equipes”, destaca Boehm.

A busca de auxílio também levará o prefeito ernestinense a Brasília. Na próxima segunda-feira, Boehm viaja para a capital federal onde, na terça-feira, terá audiências no Ministério da Saúde para angariar novos apoios. “No Ministério da Saúde, vamos explanar sobre esse que é considerado um dos maiores depósitos de pneus irregulares do país. Tentaremos buscar apoio do governo federal para que possamos dar sequência no plano de trabalho”, adiantou o prefeito de Ernestina, que espera conseguir sensibilizar os governantes sobre a difícil situação enfrentada pelo município.

(Fabricio Carvalho – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ernestina)

Compartilhe: