ERNESTINA – Combate à dengue é reforçado em escola do município

O monitoramento, controle e eliminação de possíveis locais que possam abrigar o mosquito da dengue também são uma questão de consciência e educação, o que reforça a importância da adoção de hábitos e medidas que evitem a infestação do mosquito. A Secretaria da Saúde e Assistência Social de Ernestina desenvolve ao longo do ano ações de fiscalização e conscientização para evitar que o município seja infestado e, para isso, é fundamental que toda a comunidade colabore e participe ativamente.

E esse processo de educação também passa pelas escolas. Ainda em outubro, o fiscal sanitário Lui Pacheco promoveu orientações aos estudantes da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Educarte. O profissional explicou às crianças a importância de toda a comunidade ajudar no combate à dengue. A intenção é trazer a comunidade, em especial as crianças, para dentro das ações em Saúde, pois é fundamental a participação da população para um trabalho preventivo mais eficaz.

Na oportunidade, o fiscal também explicou às crianças sobre a atuação da Vigilância Sanitária na prevenção. “Temos espalhadas pela cidade armadilhas de controle em pontos estratégicos e elas devem permanecer em seus locais destinados, pois nos auxiliam a manter um controle sobre o mosquito”, orientou Pacheco. Segundo ele, alguns estudantes relataram que já viram pneus cheios d’água acumulada, um ambiente adequado ao desenvolvimento da larva do mosquito. “O Aedes aegypti é menor que o mosquito comum. É escuro com linhas brancas, só pica durante o dia e principalmente só deposita seus ovos em recipientes com água limpa, oxigenada e parada. Sendo assim, água corrente em córregos, esgotos, valas e expurgos de lavanderia ou cozinha não são propícios para a sua reprodução”, explica o fiscal.

(Fabricio Carvalho – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ernestina)

Compartilhe: