ENTREVISTA: Cristiano Scher, presidente da Cotrisoja, fala sobre a empresa

O taperense Cristiano Scher foi eleito recentemente presidente do Conselho de Administração da Cotrisoja. Ele fazia parte do grupo que reestruturou a Cooperativa, passando de vice-presidente para presidente. Cristiano Scher, 29 anos e natural da Linha Esquina da Sorte, é engenheiro agrônomo e agricultor, e recebeu a reportagem do JEAcontece para uma entrevista. Acompanhe:

JEAcontece – Como está a Cotrisoja hoje?
CRISTIANO SCHER – Hoje a Cotrisoja está em uma situação totalmente estável e equilibrada. Encerramos o ano de 2011 com o melhor resultado da última gestão, com um crescimento no faturamento de cerca de 20%, e com um resultado cinco vezes maior que 2010. Todas nossas atividades são viáveis e rentáveis, trabalhamos com uma estrutura enxuta e organizada, com uma gestão profissional, comprometida em gerar resultados para a cooperativa e aumentar a rentabilidade do nosso associado.

Os primeiros meses de 2012 estão sendo de bons resultados para a cooperativa, sendo que o trabalho realizado nos últimos anos e a maneira como nossas atividades estão sendo conduzidas, nos dão totais condições de superar as dificuldades provocadas pela estiagem que está provocando a redução da produção de grãos em nossa região.

JEAcontece – O que foi feito para saná-la?
CRISTIANO SCHER – Inúmeras foram as ações realizadas para recuperar a Cotrisoja. Posso afirmar que o processo de recuperação se iniciou em 2007, com a implantação do novo sistema de informática. A adoção do SAP foi fundamental para termos um maior controle e um acompanhamento eficaz de todas as atividades desenvolvidas pela cooperativa. A partir da implantação desse sistema teve início o processo de revitalização da Cotrisoja, onde o Senhor Martinho Claudio Arndt foi fundamental para a implantação do novo modelo de gestão. Dentre as ações realizadas é importante ressaltar o foco que a Cotrisoja deu as suas atividades, dando ênfase à atividade primária da nossa região especialmente na área de grãos. A saída das atividades que não eram o foco principal da empresa bem como a venda das unidades fora de nossa área de ação foram fundamentais para garantir o equilíbrio financeiro da cooperativa. A padronização dos processos internos com regras e padrões definidos, onde todos os associados são tratados da mesma forma e todos os colaboradores sabem o que deve ser feito, dão uma maior segurança e credibilidade a todo o sistema. A mudança do modelo de gestão adotando uma gestão profissional, separando o estratégico do operacional, foi fundamental para a recuperação dos negócios. A forma de atuação dos conselhos, agindo como um colegiado sem concentração de poderes na mão de uma única pessoa, agindo com total transparência e comprometimento trouxe os resultados esperados.

Nesse sentido é importante destacar o trabalho do Conselho de Administração que assumiu a cooperativa em agosto de 2008 em meio a uma série de dúvidas, incertezas e desconfiança e que desde o primeiro dia com total seriedade, humildade e trabalho, contando com o apoio do Conselho Fiscal, lideranças, colaboradores e associados conseguiu mudar a imagem da Cotrisoja e recuperar a sua credibilidade junto ao quadro social e ao mercado, de forma que hoje a Cotrisoja é vista como uma referência no cooperativismo do agronegócio. E é esse trabalho sério e comprometido que continuará sendo feito para que cada vez mais ocorra o fortalecimento da Cotrisoja.

JEAcontece – O que está sendo feito para recuperar o quadro social?
CRISTIANO SCHER – A grande maioria do associado nunca se afastou da cooperativa, sendo que a transparência na condução das atividades e negócios colabora para a retomada da credibilidade e da participação crescente do associado junto à Cotrisoja. O trabalho da Assistência Técnica é fundamental, o acompanhamento permanente das propriedades com orientações em relação ao planejamento das atividades do produtor, sem custos adicionais, é uma vantagem que a cooperativa oferece sendo que o Departamento Técnico se constitui no principal elo de ligação entre o associado e a cooperativa. Em relação às condições de comercialização, a Cotrisoja tem oferecido condições especiais de negócios, com preços acessíveis e competitivos em nível de mercado. A participação no Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel é um diferencial da cooperativa beneficiando todos os agricultores familiares, associados da Cotrisoja, com uma remuneração maior para aqueles que realizam a comercialização de soja com essa finalidade. Na cultura do trigo a cooperativa realizou a comercialização de toda a safra via programas do Governo Federal, garantindo uma melhor remuneração ao produtor pelo terceiro ano consecutivo. A estratégia adotada em relação à comercialização dos lotes de milho na última safra, liberando aqueles produtores que em função da estiagem não atingiram a produção esperada mostra que a Cotrisoja esta sempre ao lado do agricultor, tanto nos momentos bons como nas horas de dificuldade. A possibilidade que o associado tem de participar das decisões da sua cooperativa também é importante, só para destacar, em meados do ano passado quando a cooperativa percorreu os 29 núcleos para a escolha do novo Conselho de Líderes todo o associado teve a oportunidade de realizar sua inscrição e participar do processo; é importante que o associado entenda o processo de escolha da liderança e dos Conselhos de Administração e Fiscal da cooperativa para que cada vez mais pessoas participem e fortaleçam o modelo de gestão implantado. Enfim, uma série de ações desenvolvidas pela Cotrisoja que buscam uma maior aproximação do quadro social, gerando maior rentabilidade ao produtor, sendo que dessa forma se tem alcançado bons resultados com crescente participação de associados e clientes na cooperativa.

JEAcontece – O patrimônio que a empresa teve um dia poderá tê-lo novamente?
CRISTIANO SCHER – O maior patrimônio da Cotrisoja são seus associados e colaboradores, sendo que a credibilidade que a Cotrisoja tem hoje e os resultados alcançados só foram possíveis graças a esses dois pilares que acreditaram no trabalho realizado e sempre estiveram ao lado da sua cooperativa.

Durante o processo de reestruturação a cooperativa vendeu diversos bens para buscar sua recuperação. Naquele momento se optou por essas ações para preservar um bem maior que é o associado aqui da nossa região e a estrutura que a cooperativa tem nos nossos quatro municípios da atual área de ação – Tapera, Selbach, Lagoa dos Três Cantos e Victor Graeff, também aquelas atividades que não vinham apresentando resultado satisfatório e não faziam parte do foco principal da cooperativa foram repassados para outras empresas (supermercado e suinocultura). Em outros períodos a cooperativa saiu da sua área de ação para atuar em outras regiões do Estado, nessas oportunidades os resultados não foram os esperados e as estruturas nessas regiões foram vendidas e se voltou para a área atual. Ao investir fora da nossa região a Cotrisoja deixou espaço para outras empresas crescerem, trabalhando com nosso associado. Creio que a lição foi aprendida de forma que hoje a Cotrisoja não pode repetir o mesmo erro. As mudanças que ocorreram nos estatutos fizeram com que investimentos a serem realizados, dependendo dos valores, necessitem de aprovação da Assembleia Geral, o que garante, no mínimo, que todos saibam o que está acontecendo e que ocorram diversos estudos demonstrando a viabilidade de novos empreendimentos. O atual Conselho tem ciente que hoje são necessárias diversas reformas e melhorias nas nossas estruturas de recebimento, beneficiamento e armazenagem de grãos. É importante reforçar as colocações que já fiz nas reuniões realizadas em nossos núcleos e unidades de que essas melhorias estarão sendo feitas de acordo com as possibilidades da Cotrisoja, trabalhando sempre com os pés no chão de forma a garantir rentabilidade a ela e proporcionar retorno ao produtor.

JEAcontece – A Cotrisoja se manterá no seu foco que é o grão?
CRISTIANO SCHER – O foco principal da Cotrisoja é o grão e em conjunto com ele vem as atividades vinculadas com o grão como a venda de insumos e fertilizantes. Essas atividades em conjunto são as responsáveis pela maior parte do faturamento e por essa razão tem uma atenção especial e são o foco principal da Cotrisoja. Também é importante dizer que essas atividades levam junto consigo o trabalho da assistência técnica que é o principal elo entre o associado e a cooperativa. Não se pode esquecer as outras atividades dela que também são importantes e estão apresentando bom retorno à cooperativa. Como por exemplo, a venda de combustíveis, sendo que os quatro postos são responsáveis por 20% do total do faturamento da Cotrisoja. A fábrica de ração, com condições de produzir ainda mais, atingindo um número maior de produtores, com a produção de uma ração com estabilidade e excelente qualidade e nossos pontos de venda proporcionando ao cliente e ao associado uma gama de produtos, com bom retorno para a cooperativa. Como já mencionei anteriormente, hoje todas nossas atividades são viáveis e apresentam resultados positivos, que são fruto de todo um conjunto envolvendo colaboradores, associados, clientes, parceiros e fornecedores os quais são fundamentais para que a Cotrisoja atinja suas metas e objetivos.

JEAcontece – Quais seus planos a frente da empresa?
CRISTIANO SCHER – Como presidente do Conselho de Administração da Cotrisoja, assumo a função de coordenar esse Conselho, para que em conjunto com os demais membros, possamos definir as estratégias que a cooperativa irá adotar. Hoje, é fundamental dar continuidade ao trabalho que está sendo feito na cooperativa e que vem apresentando bons resultados. Sem dúvida nenhuma a cooperativa tem muito a melhorar e avançar. Temos condições de aumentar nossos números em relação a recebimento de grãos e venda de insumos, fertilizantes, combustíveis e rações, sendo que um dos grandes desafios é a fidelização do associado de forma que ele tenha sempre a Cotrisoja em primeiro lugar.

O fundamental é conduzir uma gestão profissional, baseada nos princípios da ética e da honestidade, com respeito, seriedade e comprometimento de forma que todos os envolvidos com as atividades da Cotrisoja atuem com o mesmo ideal de torná-la cada vez mais referência no cooperativismo do agronegócio.

JEAcontece – Quais os planos da Cotrisoja para o futuro?
CRISTIANO SCHER – Em nível de Estado, a Cotrisoja está consolidando sua posição como uma cooperativa de porte médio, rentável, organizada e enxuta, com um modelo de gestão diferenciado, baseado na governança corporativa e na profissionalização da gestão. Ao enfrentar de frente seus problemas e dificuldades a Cotrisoja conseguiu se reestruturar e, sem dúvida nenhuma, servirá de exemplo para outras cooperativas que se encontram em situação semelhante. Quero reforçar que todo trabalho realizado e os resultados que estão sendo alcançados só foram possíveis graças ao esforço de todos os envolvidos nas atividades da cooperativa.

A Cotrisoja trabalha com a missão de fomentar a atividade agropecuária, ser a ligação entre associados e parceiros, proporcionando acesso à tecnologia, produtos e serviços de qualidade, com segurança, bem estar e satisfação da sociedade, respeitando os aspectos sociais e ambientais. Nesse sentido todas as ações que a cooperativa realiza serão no intuito de gerar a rentabilidade necessária, proporcionando retorno para nosso quadro social, na busca do fortalecimento cada vez maior da nossa Cotrisoja.

Compartilhe: